Notícia

Serra quer criar observatório para analisar o desemprego na cidade

Secretário de Emprego e Renda da cidade estima que 35 mil pessoas estejam desempregadas, mas não há um estudo detalhado sobre a situação

Sine da Serra nesta quarta-feira (29)
Sine da Serra nesta quarta-feira (29)
Foto: Eduardo Dias

A Secretaria de Trabalho e Renda da Serra estima que a cidade tenha aproximadamente 35 mil pessoas desempregadas. No entanto, o município não tem um estudo que confirme se este levantamento representa a realidade da cidade, assim como o perfil dessas pessoas ou sobre setores empresariais que mais necessitam de mão de obra. Para conseguir esse detalhamento, o município tenta uma parceria com a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), para a criação de um “Observatório do Emprego” na cidade. 

De acordo com o secretário de Emprego e Renda da Serra, Roberto Carlos, o município já teve uma resposta positiva da Ufes e uma reunião para discutir a criação do Observatório do Emprego será realizada com um professor do curso de Serviço Social. A parceria poderá viabilizar o estudo detalhado do qual a cidade tanto precisa para qualificar melhor a população que está em busca de uma oportunidade de trabalho.

 

Com a análise do perfil dos desempregados e os setores empresariais que necessitam de novos trabalhadores será possível, por exemplo, a criação de cursos profissionalizantes específicos.

"A importância de ter o índice correto do desemprego é saber qual setor da economia está mais fragilizado, é saber qual região da cidade tem o maior índice de desemprego, para a gente focar a política pública e nas políticas de qualificação", avaliou o secretário.

DESEMPREGADOS FORMAM LONGAS FILAS

A crise do desemprego na Serra fez com que centenas de pessoas passassem a madrugada desta quarta-feira (29) na calçada do Sine da cidade, no bairro Portal da Jacaraípe. Mais de 500 pessoas foram ao local em busca de vagas em um mutirão de emprego feito pela prefeitura. Entre as mais de 200 oportunidades oferecidas, 110 eram para uma empresa de metalmecânica que atua na área da Vale.

André Ribeiro está desempregado há dois anos
André Ribeiro está desempregado há dois anos
Foto: Eduardo Dias

O montador de andaimes André Ribeiro, de 34 anos, chegou ao local às 20h desta terça-feira (28), 12 horas antes do início do atendimento. Ele está desempregado há dois anos.

"Tem dois anos que estou desemprego. É bem complicado, porque tenho filha, tenho mulher e pago aluguel. As contas estão chegando, corro atrás e não consigo emprego, aí fica complicado. Estou esperançoso para que dê tudo certo", disse André.

Djanilton Alves também é montador de andaimes e passou a noite na calçada na esperança de conseguir um emprego. Há três anos ele perdeu o emprego e tem sustentado a família fazendo bicos como pedreiro e pintor.

"Tem três anos que estou parado, só trabalhando de pedreiro e pintura. É situação é difícil, porque tenho família e tenho filho. Tenho que pagar aluguel e pensão todo mês. As contas chegam e a gente tem que pagar. Tenho que correr atrás", disse Djanilton.

Números de uma pesquisa recentemente divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostraram que o Espírito Santo tem aproximadamente 364 mil pessoas à procura de emprego.

Ver comentários