Notícia

Conscienciologia: campus atrai pesquisadores da mente humana ao ES

Visitamos o campus da Associação Internacional para a Evolução da Consciência em Domingos Martins

Campus Aracê, em Domingos Martins
Campus Aracê, em Domingos Martins
Foto: Fernando Madeira

Era uma terça-feira de junho, com previsão de chuva para o Espírito Santo e seguíamos cedinho de Vitória para Aracê, distrito de Domingos Martins, onde fica localizada a Associação Internacional para Evolução da Consciência. Um lugar não muito conhecido no Estado, mas que abriga estudos, palestras, debates, pesquisa, experiências e muitas belezas na Região Serrana capixaba.

Nossa missão era entender, ver, entrevistar, gravar, fotografar e pensar em como trataríamos a matéria. Isso tudo vinha à minha mente, enquanto seguíamos na BR. Marcamos para chegar às 9h, mas o trânsito "agarrou" na saída de Viana. "Meu Deus, está tudo parado, vamos atrasar. E se chover? Vai estragar tudo". E já fui ficando ansiosa, pelo que iria encontrar e pelo atraso que se desenhava.

VEJA O VÍDEO

Chegamos às 9h30. "Para onde vamos? O que vamos fazer? Será que vai dar tempo de tudo?" E assim cheguei com a mente à mil ao destino. Apenas desacelerei quando fomos recebidos pelos coordenadores Mara Pizzato, Eliane Stédile e José Tarquínio da Silva Filho e embarcamos na primeira experiência do dia: o passeio bioenergético. 

>Uma cidade do conhecimento no meio das montanhas capixabas

Alongamos, respiramos e fomos para a trilha, onde escutamos o canto dos pássaros, sentimos o pisar nas folhas secas no chão, o cair da água. Paramos. Fizemos um trabalho de energização e continuamos. Ficamos em silêncio, trabalhamos nosso pensamento para trazer boas memórias à mente e, neste instante, ficamos todos felizes com as mais belas recordações. 

Retornamos calmamente para o início e fomos para os Laboratórios Conscienciológicos. Em um deles, a pessoa entra sozinha e se ajeita em uma poltrona. Lá ela deve permanecer por até 3h30, olhando para a parede branca, sem piscar. Confesso que não consegui me visualizar ali, por tanto tempo, imóvel, com meus pensamentos.

Campus Aracê, Domingos Martins
Campus Aracê, Domingos Martins
Foto: Fernando Madeira

>Pedra Azul e Pico da Bandeira: noivos escolhem cenários de sonhos no ES

Entramos ainda no Laboratório que mais nos impressionou: o Serenaruim é "destinado à imersão e autoconcentração do pesquisador durante 72 horas consecutivas". Ele é composto por uma cama, poltrona, uma cozinha com uma lista de alimentação escolhida pelo participante, e conta com um banheiro e um notebook que terá acesso apenas a uma ferramenta de texto. Sem internet, sem celular, sem televisão e sem contato com outras pessoas. 

Lá encontramos com a voluntária Helena Fragoso, que veio de Brasília para ficar no laboratório por três dias. "Fiz a pré-entrevista e toda a preparação necessária antes de entrar no Serenarium, para fazer esse experimento profundo de autoconhecimento. Trouxe um atestado físico e mental emitido por médico. O atendimento foi excelente. Você escolhe seu cardápio, e eu amei desde o início até o final. O meu primeiro dia foi no dia do meu aniversário. Eu vim com o objetivo de tentar retomar a linha do tempo da minha vida, lá de trás, trazendo os elementos principais desse processo. E foi muito bom. Ampliei o cenários sobre várias questões ao longo da minha vida com uma perspectiva muito mais ampla e mais profunda", conta a brasiliense. 

É necessário uma preparação para ficar nesse espaço, como explica a coordenadora de Aracê, Marta Pizatto. "O participante precisa ter sido voluntário em alguma associação vinculada à Aracê por pelo menos 10 meses, passar por avaliação médica e psicológica. Ele terá ainda dez integrantes da Associação a sua disposição, que farão rondas ao redor do Laboratório e estarão prontos caso o voluntário precise de algum tipo de ajuda", explica.

Maria ressalta ainda que no local não se faz nenhum tipo de alucinógeno como chás ou entorpecentes. "A ideia é que a pessoa tenha suas próprias experiências, é uma autopesquisa, um autoconhecimento comportamental que leva a refletir sobre os motivos pelo qual você fica irritada com determinadas situações e o que está por trás disso", diz. "Para você fazer este tipo de pesquisa é você com você. A pessoa precisa ter o pé no chão", completa.

Os valores variam de acordo com as atividades desenvolvidas no local. O passeio bioenergético, que é muito procurado por turistas e grupos de alunos, por exemplo, é de graça, mas por conta do coffee break que é oferecido aos participantes é cobrado um valor de R$25 por pessoa. O Laboratório de 1h30, que é o trabalha uma técnica de energia, chamada estado vibracional, custa R$15. Para ficar nos demais laboratórios, a pessoa precisa ter um entendimento maior e os valores não são repassados pela Associação, precisando ser conversado com quem estiver apto para fazer a atividade.

Números da Aracê

A associação Aracê conta com 80 voluntários e, destes, 11 moram de forma fixa dentro do campus. 33 são voluntários itinerantes que ajudam nos finais de semana. São sete laboratórios de 1h30, três laboratórios que recebem a atividade de 3h30 e três laboratórios de três dias. A capacidade máxima do passeio bioenergético foi de 45 pessoas. O número mínimo é de cinco pessoas. 

Associação Internacional para a Evolução da Consciência

Fundado em 2001, o campus Aracê localiza-se no município de Domingos Martins – ES. Pesquisadores-voluntários mantém escritórios de apoio institucional em Belo Horizonte, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo. Ao todo são 42 hectares de extensão.

Atividades

A Aracê promove cursos, palestras e workshops abertos à comunidade, nos Estados do Espírito Santo, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo. Equipes de apoio voluntário atuam em Cachoeiro de Itapemirim, Venda Nova do Imigrante, Vila Velha, Vitória, além de outras cidades do Brasil como Belo Horizonte, Foz do Iguaçu, Novo Hamburgo, Pelotas, Porto Alegre, Ribeirão Preto, Rio de Janeiro e São Paulo.

Campus 

1. O que é a Associação ARACÊ?

"A Associação Internacional para a Evolução da Consciência – ARACÊ – apresenta-se como uma instituição de pesquisa científica da Área de Humanas e Sociais; não governamental, sem finalidades econômicas, mantida exclusivamente pelo voluntariado, apartidária, laica e universalista."

2. O que a ARACÊ faz?

"Realiza palestras gratuitas, debates, cursos, eventos científicos, Turismo da Experiência (Passeio Bioenergético), e ações voluntárias em parceria para a comunidade tais como, atividades de qualificação pessoal e profissional, programas motivacionais para alunos e professores e projetos de preservação ambiental".

3. Qual é o objetivo?

"Promover estudos teóricos e práticos sobre o autoconhecimento e autoaprimoramento contínuo para que o indivíduo possa melhorar a si mesmo e seu entorno através da pesquisa do seu dia a dia, da convivência em grupo (família, amigos, sociedade), pelos debates de hipóteses para soluções de conflitos e problemas pessoais e sociais; através de cursos, congressos, publicações de artigos e livros sobre novas descobertas e pelos exemplos de vida, utilizando para isso conhecimentos da Conscienciologia e ciências correlatas".

4. Por que ARACÊ embasa seus estudos na Conscienciologia?

"Porque a Associação ARACÊ trabalha com verdades relativas e não absolutas ou crenças e a Conscienciologia é uma ciência que propõe um paradigma inovador para o estudo da consciência (ser humano), incentivando o debate de ideias e a autopesquisa."

5. De que trata a Conscienciologia?

"É uma ciência que apresenta um conjunto de conhecimentos para o amplo estudo da evolução humana, considerando hipóteses e premissas de vanguarda, entre as quais, que as inter-relações são multidimensionais e inerentes à vida; e que as bioenergias estão presentes nos pensamentos e sentimentos humanos e nos demais seres vivos, objetos e ambientes e imprimem grau de qualidade à vida, podendo ser melhoradas."

6. Como são desenvolvidas as pesquisas?

"A partir da autopesquisa e do princípio do não-convencimento, no qual o importante é pesquisar e não acreditar. Para isso existem laboratórios de autopesquisa, eventos técnicos e revistas científicas, bem como aulas diárias transmitidas on line, ao vivo, com defesa de verbetes sobre temas do cotidiano, compondo a Enciclopédia da Conscienciologia. A vida humana é considerada laboratório contínuo de autopesquisa."

7. O que significa autopesquisa?

"Significa você pesquisando você mesmo, usando para isso métodos e técnicas de pesquisa, cujos resultados podem proporcionar o que se chama de "evoluir a partir das próprias experiências", gerando autoconfiança nas tomadas de decisões."

8. O Campus ARACÊ possui acervo para estudo?

"Sim. Possui uma Biblioteca com 10.421 livros e 243 dicionários (ano-base: 2017), disponíveis para a pesquisa científica."

9. De onde vêm os recursos financeiros da Associação ARACÊ?

"Os recursos financeiros advêm dos cursos e eventos científicos promovidos pela instituição."

10. Como e por quem são realizadas as atividades?

"Através do voluntariado presencial, e também a distância. Por voluntários formados em diversas áreas do conhecimento, tais como da Administração, Arquitetura, Engenharia, Medicina, Pedagogia, Psicologia, TI, entre outras, residentes e atuantes no ES, MG, PR, RJ, RS e SP."

11. Que temáticas são desenvolvidas nos cursos ministrados pela ARACÊ?

"Existem atualmente dez cursos institucionais (Ano-base: 2017) com temáticas relacionadas ao desenvolvimento da capacidade assistencial; ao autoconhecimento; à qualificação das inter-relações; ao estudo das bioenergias; ao uso cosmoético de recursos financeiros, entre outras."

12. O Campus ARACÊ é aberto a visitações?

"Sim, recebe semanalmente visitantes e alunos vindos de todo o Brasil para cursos e eventos em seu campus-sede. Oferece também o Turismo da Experiência, que prevê visitação técnica e passeio bioenergético aos turistas do Brasil e exterior."

Endereço: Rota do Conhecimento, km 7 (acesso BR 262, km 87), Aracê, Domingos Martins.

Ver comentários