Notícia

Família morta em acidente com carreta na BR 101 é sepultada em Viana

O enterro aconteceu nesta quarta-feira (12), no cemitério de Vila Bethânia

Família que morreu em acidente na BR 101 é enterrada no Cemitério de Vila Bethânia, em Viana
Família que morreu em acidente na BR 101 é enterrada no Cemitério de Vila Bethânia, em Viana
Foto: Carlos Alberto Silva | GZ

Centenas de pessoas compareceram para as últimas homenagens à família que foi vítima do acidente envolvendo uma carreta que transportava granito, na noite da última segunda-feira (10), na BR 101, na Serra. O sepultamento de Ozineto Rodrigues, da esposa Danielli Martins e do bebê Lucca Rodrigues aconteceu no cemitério de Vila Bethânia, em Viana, na tarde desta quarta-feira (12). Muitos familiares, amigos e vizinhos estiveram no enterro, marcado por muita emoção durante a despedida.

A irmã de Danielli, Flávia Martins, se emocionou durante o sepultamento. Enquanto o caixão da irmã, do cunhado e do sobrinho eram colocados no jazigo, ela chorava muito. “O que vai ser da minha vida sem vocês?”, disse. Minutos após o enterro, ela agradeceu a todos pelo suporte e pediu orações para o sobrinho Gabriel, filho do casal que sobreviveu ao acidente e que continua internado em estado grave.

> Excesso de velocidade pode ter contribuído para tragédia na Serra

“Hoje fui no hospital para ver o Gabriel e agradeci muito a Deus, que me confortou um pouco, de ver o coraçãozinho dele batendo. Para mim, foi ver um pedacinho deles ali batendo. Então, peço a todos, acredito encarecidamente em Deus, vamos orar pelo meu sobrinho. Se for da vontade do Senhor, ele vai voltar, vai fazer todo mundo feliz, e preencher o pedaço, esse buraco que está no coração da gente”, pediu emocionada.

O QUE DIZ O DELEGADO

Outros parentes demonstraram revolta pela situação. Rafael Martins, primo de Danielli, afirmou que o que aconteceu não foi só uma tragédia, e questionou a falta de resolução do poder público em relação aos acidentes nas estradas.

“É mais uma história que se repete no nosso Estado, no Brasil e as autoridades não fazem nada, a fiscalização não está em cima. Agora fica todo mundo em cima desse contexto, daqui a pouco a poeira baixa e tudo volta ao normal. Aí precisa uma outra tragédia, uma outra família passar por esse sofrimento para voltar toda essa mídia novamente. Até quando vamos esperar que isso melhore?”.

Sobre o motorista da carreta, que se apresentou a polícia enquanto acontecia o enterro, o primo de Danielli afirmou que espera justiça. “Que a Justiça agora seja feita, a Justiça dos homens. Na Justiça divina eu acredito muito e tenho fé. Então, vamos esperar que a Justiça dos homens seja feita”, disse.

SOBREVIVENTE SEGUE EM ESTADO GRAVE

O filho mais velho do casal, Gabriel Rodrigues, de 11 anos, que sobreviveu ao acidente, continua internado em estado grave. A informação foi confirmada pela tia Flávia Martins. Apesar da complexidade, ela afirmou que o quadro dele e estável, o que significa um “bom sinal”.

“Está estável, mas ainda é gravíssimo. Mas como é um estado estável contínuo, representa um sinal bom, pelo menos não piorou. Vamos pedir a Deus para continuar esse estado estável, mas para cima, melhorando, para que o nosso garoto saia de lá e venha preencher o espaço que está faltando aqui”, disse.

VEJA MAIS FOTOS DOS SEPULTAMENTOS

MÃE TEVE SONHO COM CAIXÕES

A concunhada de Danielli, a empresária Victória Borges, 24 anos, que é casada com o irmão do Ozineto, contou um sonho que a sogra teve antes de a família viajar. Segundo Victória, um dia antes da viagem, a mãe de Ozineto sonhou com quatro caixões e os mortos eram pessoas da família, mas não eram necessariamente o Ozineto, a esposa e o filho mais novo. A empresária disse que ele acreditou no sonho profético da mãe e repreendeu com orações.

> Empresa responsável por transporte de pedra amanhece fechada no Sul do ES

SEM AUTORIZAÇÃO

A carreta não tinha autorização para o transporte de granito. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o veículo não regularizado na parte documental junto ao Detran-ES. Segundo o inspetor Igor Moreira, da PRF, o veículo passou por uma adaptação no reboque para poder fazer esse tipo de transporte de carga, mas necessitaria pedir uma autorização junto ao Detran-ES para ter o documento que garantisse ao veículo a autorização de trafegar dentro das normas. O motorista será multado por isso, mas o inspetor não informou exatamente o valor da multa.

> Mortes na BR 101: casal planejava fazer viagem missionária para a Bahia

Ver comentários