Notícia

Junho termina com queda de 3,8% no preço médio da gasolina no ES

O mês começou com o litro do combustível sendo vendido a R$ 4,73 e termina a R$ 4,55

Preço da gasolina em um posto da Avenida Vitória
Preço da gasolina em um posto da Avenida Vitória
Foto: Patrícia Scalzer

O preço médio da gasolina no Espírito Santo registrou uma queda no mês de junho de 3,8%. O mês começou com o litro do combustível sendo vendido a R$ 4,73 e junho termina com a gasolina a R$ 4,55 o litro. Segundo dados da Secretaria De Estado da Fazenda, nos últimos três meses o preço médio do combustível vendido pelas distribuidoras para os postos oscilou, o que impactou na flutuação do preço de venda.

Por isso, é comum encontrar diferentes preços nos postos da Grande Vitória. Serra é o município onde a gasolina está mais em conta (R$ 4,36 média), seguido por Cariacica (R$ 4,43), Vila Velha (R$ 4,46) e Vitoria (R$ 4,47).

Na manhã deste sábado (29), em um posto localizado na Avenida Vitória, a gasolina estava sendo comercializada por R$ 4,34 o litro. Já em Vila Velha, na Avenida Carlos Lindenberg, o litro da gasolina pode ser encontrado até por R$ 4,29. Na mesma avenida, o preço varia e pode chegar a R$ 4,49.

Quem precisa abastecer com frequência o veículo, como é o caso do mecânico Helvio Luiz de Farias, essa redução ainda não anima. Segundo ele, mesmo com uma pequena queda, o preço da gasolina no Brasil ainda é muito alto. “A gasolina no Brasil deveria custar, no máximo, R$ 2. Nós somos produtores”, disse.

 Helvio Luiz de Farias, mecânico
Helvio Luiz de Farias, mecânico
Foto: Patrícia Scalzer

AUMENTA CONSUMO DE ETANOL 

De acordo com o Sindipostos, em 2019 houve uma queda no volume de venda de gasolina no Espírito Santo. Dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP) mostram que houve uma queda de 0,8% no total de gasolina comum nos cinco primeiros meses do ano. Por outro lado, houve um grande crescimento do etanol hidratado, de 102,1%, o que indica que pode ter havido deslocamento de consumo.

Foto: Patrícia Scalzer

Porém, muitos motoristas preferem abastecer com gasolina, para não afetar o desempenho do veículo. O aposentado Fernando Luz só abastece com gasolina, independente do valor. “Só abasteci com álcool uma vez e a diferença é pequena, não vale a pena”, contou.

O motorista de aplicativo Márcio Donato também prefere abastecer com gasolina. “Não compensa abastecer com álcool no Espírito Santo. Em São Paulo compensa, pois o valor lá é mais em conta”.

FUTURO

De acordo com o Sindipostos, o segundo semestre do mercado de combustíveis dependerá muito do mercado externo, especialmente da flutuação do dólar e do preço do barril de petróleo, além das políticas internas voltadas à retomada da economia.

Ver comentários