Notícia

Mortes na BR 101: carreta estava com excesso de velocidade, diz PRF

O tacógrafo da carreta, equipamento que mede o tempo de uso, a distância percorrida e a velocidade em que o veículo estava no momento do acidente, foi recolhido para a perícia da Polícia Civil

Bloco de granito que estava em caminhão envolvido em acidente na Serra
Bloco de granito que estava em caminhão envolvido em acidente na Serra
Foto: Iara Diniz

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) acredita que o excesso de velocidade foi o fator primordial para causar o acidente que matou três pessoas da mesma família, durante a noite de segunda-feira (10), em Chapada Grande, BR 101, na Serra

As vítimas Danielli Martins, de 34 anos, o marido Ozineto Rodrigues, 38 anos, e os filhos Lucca Martins Rodrigues, de 1 ano, e Gabriel Martins Rodrigues, de 11 anos, retornavam de um viagem de férias do Nordeste, quando se envolveram no acidente. Gabriel, o único sobrevivente, está internado em estado grave no Hospital Infantil de Vitória

De acordo com a PRF, a carga poderia ter jogado o caminhão na contramão. Como o veículo tombou junto com a carga, o indicativo é que não houve problema na amarração da pedra. 

Leia também

O tacógrafo da carreta, equipamento que mede o tempo de uso, a distância percorrida e a velocidade em que o veículo estava no momento do acidente, foi recolhido para a perícia da Polícia Civil. Após o acidente, será necessário um guindaste para retirar a pedra e levá-la a uma balança para verificar se também houve excesso de peso.

SEM AUTORIZAÇÃO

A carreta não tinha autorização para o transporte de granito. De acordo com PRF, o veículo até estava adaptado para o transporte, mas não regularizado junto ao Detran-ES. Segundo o inspetor Igor Moreira, o veículo passou por uma adaptação no reboque para poder fazer esse tipo de transporte, mas necessitaria pedir uma autorização junto ao Detran-ES para garantir que o veículo ande dentro das normas. O motorista será multado, mas o inspetor não informou exatamente o valor da multa.

COMPRIMIDOS DE REBITE

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) encontrou comprimidos de rebite dentro da carreta que provocou o acidente. A substância, utilizada por vários motoristas de carreta de forma ilegal para não dormir, estava dentro de uma sacola na cabine do veículo. “Foi encontrado dentro da bolsa dele. Fizemos algumas perguntas no hospital e ele confirmou que era pra ele usar. É uma substância muito utilizada pelos caminhoneiros, mas é proibido porque gera danos colaterais”, pontuou.

NOTA IRREGULAR

A nota fiscal da carga estava irregular, com várias informações omitidas, de acordo com o inspetor Davi. “Não sabemos se era omitido, mas estava irregular”, pontuou o motorista.

Ver comentários