Notícia

Piloto de parapente do ES morre após colidir com paredão de pedra em MG

O piloto e técnico em mecânica Josely Dutra Magalhães, de 52 anos, morava em Guarapari e saltou do Pico da Ibituruna, em Governador Valadares. Ele se chocou com o paredão de pedra e não resistiu aos ferimentos

O corpo do piloto de parapente Jocely foi resgatado pelo Corpo de Bombeiros de Governador Valadares
O corpo do piloto de parapente Jocely foi resgatado pelo Corpo de Bombeiros de Governador Valadares
Foto: Corpo de Bombeiros de Governador Valadares

Um piloto de parapente morador de Guarapari caiu no Pico da Ibituruna, em Governador Valadares, Minas Gerais, após tentar um voo na tarde desta segunda-feira (10). O acidente ocorreu por volta das 16h30. Uma equipe do Corpo de Bombeiros chegou ao pico cerca de meia hora depois. O resgate durou quase 24 horas, mas o técnico em mecânica Jocely Dutra Magalhães, de 52 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu. O piloto caiu cerca de 150 metros de distância da rampa sul, que fica na parte de trás do pico.

De acordo com informações do Corpo de Bombeiros de Governador Valadares, o resgate começou por volta das 17h20 de segunda-feira (10), e terminou às 17h desta terça-feira (11), quase 24 horas de trabalho. O apoio aéreo também foi acionado, mas não foi possível resgatar o corpo com o helicóptero por causa da visibilidade ruim.

Leia também

A equipe de resgate só pode alcançar o piloto por rapel e, mesmo assim, foi preciso aguardar condições climáticas que possibilitassem visibilidade, por ser um lugar de difícil acesso. Quando alcançada, a vítima foi içada por uma aeronave da Polícia Militar mineira.

Josely, ainda segundo os bombeiros de Governador Valadares, foi encontrado com vida, consciente, mas desorientado, com hemorragia externa e politraumatizado. Ele faleceu 20 minutos depois que a equipe teve acesso ao local em que ele estava.

Testemunhas contaram que ele saltou com o parapente próximo à rampa sul, na parte de trás da montanha. Um piloto, que preferiu não se identificar, comentou que a região do acidente é desaconselhável para iniciantes devido às mudanças no vento, que são constantes e podem complicar a vida do praticante do esporte.

O piloto de parapente Josely Dutra Magalhães, de 52 anos, morreu após um acidente no Pico da Ibituruna, em Governador Valadares, MG  FAMÍLIA E AMIGOS

O piloto de parapente Josely Dutra Magalhães, de 52 anos, morreu após um acidente no Pico da Ibituruna, em Governador Valadares, MG
O piloto de parapente Josely Dutra Magalhães, de 52 anos, morreu após um acidente no Pico da Ibituruna, em Governador Valadares, MG
Foto: Reprodução/Facebook

Magalhães, como era conhecido por colegas e amigos, era piloto iniciante e fazia aulas há cerca de seis meses, como contou o almoxarife e amigo de Josely, Gilson Benício. Os dois trabalhavam juntos embarcados e deviam voltar ao mar na próxima segunda-feira (17).

"A gente trabalhava 14 dias juntos embarcados há uns seis anos. Temos um grupo de amigos que todo ano reúne as famílias por quatro, cinco dias e comemora. Nós éramos muito próximos. Ele sempre comentava sobre a vida radical, eu sei que ele gostava de surf também e que tinha uns seis meses que estava fazendo aula de parapente e era uma coisa que ele gostava. É um sentimento de perda muito grande de um amigo e companheiro de trabalho. Ele estava sempre com alto astral, sorridente, não importava o que acontecia", relembra Gilson.

Nas redes sociais, o irmão do piloto, Marcos Dutra Magalhães, lamentou a morte do irmão. Na postagem, acompanhada de uma foto que mostra o irmão sorridente, diz que ele partiu fazendo o que gostava.

"Hoje (11) meu irmão fez teu último vôo, última paixão dele, agora ele está repousando ao lado de Deus, pior dia de nossas vidas, fica bem meu irmão e que tenha uma linda passagem", escreveu.

Segundo informações de Marcos, o corpo de Jocely foi liberado e o velório estava previsto para acontecer às 10h desta quarta-feira (12), na Paz Eterna, em Guarapari. Não há informações sobre o enterro.

Veja fotos do resgate

Com informações de Fábio Monteiro, do site Olhar Sobre a Cidade

Ver comentários