Notícia

Prefeitura vai trocar asfalto por concreto nas avenidas de Vitória

Com investimento total de R$ 78 milhões para recuperar as vias da cidade, a prefeitura também anuncia a construção de uma nova ciclovia

Trecho da Avenida Vitória, nas proximidades do bairro Forte São João
Trecho da Avenida Vitória, nas proximidades do bairro Forte São João
Foto: Google Maps

Por causa dos recorrentes buracos e desníveis nas pistas, causando defeitos nos veículos e muita reclamação dos motoristas, a Prefeitura de Vitória decidiu que vai retirar o asfalto existente e substituí-lo por uma pavimentação de concreto em trechos de algumas das principais avenidas da Capital. As obras fazem parte de um investimento de R$ 78 milhões na recuperação das vias na cidade.

O primeiro local a receber as obras será a Avenida Vitória, em um trecho de aproximadamente três quilômetros, com um investimento de R$ 20 milhões. A mudança da pavimentação acontecerá na pista da direita, nos dois sentidos da avenida, no local onde trafegam os ônibus e outros veículos mais pesados, como os caminhões. As pistas central e da esquerda continuarão a ser cobertas com asfalto. A previsão é para que a obra tenha início até o mês de agosto de 2019 e duração de um ano. 

> Teste do copo d'água mostra qualidade do asfalto em Vitória

De acordo com o secretário-executivo da Central de Serviços de Vitória, Weverton Moraes, técnicos da prefeitura optaram pela implantação da pavimentação de concreto porque o material é mais resistente para pista de rolagem para veículos pesados.

INTERVENÇÕES E CICLOVIA

O representante da prefeitura explicou que as intervenções acontecerão nos dois sentidos na via, no trecho entre o Colégio Estadual, que fica nas proximidades da Curva do Saldanha, até o encontro da Avenida Vitória com a Avenida César Hilal, na altura do bairro Bento Ferreira. Além da pavimentação de concreto nas pistas da direita, o projeto também prevê que nesse mesmo trecho seja construída uma ciclovia no canteiro central da avenida.

> Rachaduras e desníveis no asfalto desafiam motoristas em Vitória

"A terceira pista de rolamento da avenida Vitória, onde passam os ônibus, está bastante danificada. Será preciso fazer essa pista de rolamento de concreto. Além disso, iremos fazer a implantação de ciclovia no canteiro central, o projeto é muito mais que só a recuperação do asfalto", explicou o representante da prefeitura.

OBRAS EM OUTRAS AVENIDAS

Na Reta da Penha, faixa ao lado dos pontos está com asfalto deformado pela contínua passagem dos ônibus, que são mais pesados
Na Reta da Penha, faixa ao lado dos pontos está com asfalto deformado pela contínua passagem dos ônibus, que são mais pesados
Foto: Vitor Jubini | Arquivo | GZ

Após a conclusão das obras na Avenida Vitória, Weverton Moraes também afirmou que a prefeitura pretende fazer a mesma intervenção na Reta da Penha, na Avenida Beira-Mar e na Avenida Cesar Hilal. Existe a possibilidade de uma ciclovia ser construída na Avenida Marechal Campos. No entanto, o plano da prefeitura é para que as obras não aconteçam ao mesmo tempo, para não atrapalhar o trânsito da cidade.

ENGENHEIRO APROVA MUDANÇAS

O engenheiro civil e especialista em Infraestrutura, Aprígio Antônio Barreto Júnior, explica que as pistas de concreto armado são as mais recomendadas para o tráfego de veículos pesados.

"O melhor pavimento para resistir aos esforços de frenagem e aceleração é o concreto armado. O BRT, que nós não temos aqui, mas realidade em outros Estados, é em concreto armado justamente para resistir aos esforços de tração", complementou o engenheiro.

BURACOS SÃO PROBLEMAS ANTIGOS

Reta da Penha, em Vitória
Reta da Penha, em Vitória
Foto: Kaique Dias | Arquivo | Gazeta Online

A grande quantidade de buracos e desníveis nas pistas é uma antiga reclamação de motoristas e motociclistas que circulam pelas ruas e avenidas de Vitória. É o caso da cientista de computação Jacqueline Canal, que é ouvinte da Rádio CBN Vitória e sugeriu que fosse feita uma reportagem sobre o problema. Ela reclama que os diversos buracos em avenidas como na Reta da Penha geram prejuízos financeiros porque obriga que os motoristas façam reparos nos veículos. 

O meu prejuízo é com o carro, não tem suspensão que aguente. Também tem o problema da segurança porque você acaba tendo que desviar de faixa rapidamente

O engenheiro civil Aprígio Antônio Barreto Júnior explica que grande parte dos buracos no Vitória é formada porque o peso gerado pela passagem dos veículos abre fissuradas no asfalto, permitindo a entrada de água no solo. A água, por sua vez, retira parte de argila, da brita e da areia que ficam embaixo do asfalto, deixando um espaço oco. Assim, o asfalto sobre o espaço oco acaba cedendo e gerando novos buracos.