Notícia

Saiba como estão os irmãos que receberam rins do mesmo doador

Luciano e Adriano, de Linhares, fizeram o transplante raro em maio e agora, livres da hemodiálise, fazem novos planos, como viajar mais

Luciano Silvério, 34, e Adriano Silvério, 32, receberam rins de um mesmo doador e agora planejam uma vida diferente a partir de agora.
Luciano Silvério, 34, e Adriano Silvério, 32, receberam rins de um mesmo doador e agora planejam uma vida diferente a partir de agora.
Foto: TV Gazeta

Os irmãos que receberam transplante de rins de um mesmo doador e no mesmo dia em um hospital de Vila Velha se recuperam em casa, em Linhares. Pouco mais de um mês depois da cirurgia, Luciano Silvério, 34, e Adriano Silvério, 32, planejam uma vida diferente a partir de agora. “Agora eu pretendo viajar, aproveitar a vida ao máximo”, disse Adriano para a TV Gazeta. Antes, por conta das limitações da hemodiálise, eles não podiam ficar muito tempo fora de casa nem viajar para longe.

Os irmãos eram portadores de uma doença renal progressiva e faziam hemodiálise há anos. A cirurgia aconteceu no dia 16 de maio, no Hospital Evangélico de Vila Velha. Agora, eles já estão em casa, no bairro Movelar, em Linhares. Com a garantia de que as cirurgias foram bem-sucedidas, os irmãos comemoram a conquista. “Estou alegre duplamente. Eu e meu irmão temos uma esperança de vida nova, uma vida melhor daqui para frente”, completou Adriano.

De acordo com Luciano, o corpo está respondendo cada vez melhor à mudança. “Nós sentíamos muita dor, nas pernas e nas costas. Agora nós não sentimos mais”, comemorou.

Mais de mil pessoas esperam por transplante no Espírito Santo

Jovem do ES passa por transplante de córnea e sonha em voltar a enxergar

Hemodiálise

Adriano fez hemodiálise por 12 anos. Já o irmão descobriu a doença depois, e passou pelo procedimento por sete anos. Mesmo depois de tanto tempo, eles tinham esperança de que conseguiriam um transplante. Só não imaginavam que a alegria seria dupla.

No mês que vem, eles vão passar por uma avaliação médica para saber como está a recuperação. Ambos estão confiantes.

“A expectativa é a melhor possível, porque toda vez que a gente vai consultar os médicos estão vindo com boas notícias, nossos exames estão bons, está correndo tudo bem”, contou Adriano.

Os rins que Luciano e Adriano receberam eram de uma mulher de 53 anos, que morreu devido a um acidente vascular cerebral (AVC), na Serra. Na época, a médica Luciana de Assis, coordenadora do serviço de transplante do Hospital Evangélico de Vila Velha, explicou que o fato eram incomum.

“Coincidentemente eles receberam a mesma carga genética do pai e da mãe, então, eles têm uma carga genética que chamamos de sistema HLA idêntico. Por isso, essa coincidência dos dois estarem recebendo rins de um mesmo doador”, explicou a médica.

Ver comentários