Notícia

Seis são presos em um mês por roubar fios que ligam semáforos em Vitória

Quadrilha que atua em Vitória rouba fios e vende o cobre no mercado clandestino; prefeitura já gastou R$ 40 mil em 2019 para repor fiação roubada

A Ponte da Passagem, em Vitória
A Ponte da Passagem, em Vitória
Foto: Arquivo/AGAZETA

A falta de sincronia nos semáforos de Vitória não é novidade, mas agora a Prefeitura de Vitória (PMV) diz que uma das principais causas desse problema são roubos frequentes de fios de cobre que ligam as instalações do trânsito à energia pela Capital. Em maio deste ano, dados do órgão dão conta de que seis pessoas foram presas em flagrante, na Curva da Jurema e na Ponte da Passagem, por furtarem os materiais.

Só em 2019, levantamento da PMV aponta que 25 ocorrências de furto já foram registradas. Por causa delas, cerca de 4 mil metros de cabos foram roubados e foi necessário gastar algo em torno de R$ 40 mil para repor os materiais. 

Depois de furtados, os fios são desencapados, o cobre é derretido e vendido por gangues no mercado ilegal. Para o secretário de Segurança Urbana de Vitória, Fronzio Calheira Mota, há uma grande quadrilha que atua dessa forma na cidade. “Precisamos de uma investigação que nos leve até os receptadores. Eles pegam essa mercadoria ilegal e vendem e há um mercado que sobrevive disso. Nós prendemos esses indivíduos no mês passado em pontos que são considerados viciados, que são Ponte da Passagem e Curva da Jurema. Avenidas Rio Branco e Leitão da Silva também são muito visadas”, confidencia.

> O reflexo do vandalismo no trânsito da Avenida Rio Branco

Segundo Fronzio, muito provavelmente, os problemas de falta de sincronia nos semáforos de Vitória são em sua maioria causados por furtos de fios. Ele esclarece que quando um fio é roubado e a energia do poste, cortada, há um processo que precisa ser feito para que tudo volte ao normal. “A prefeitura precisa repor o material, encaminhar uma equipe até lá, a equipe precisa reprogramar o semáforo de acordo com o local que ele está instalado e isso pode levar algum tempo”, diz.

Até a noite desta terça-feira (11), a Avenida Rio Branco, na Praia do Canto, bairro de Vitória, ficou por cinco dias com trânsito que demorava horas para começar a fluir. De acordo com relatos, um trajeto que comumente não gasta mais do que quinze minutos demorou até duas horas e vinte na última segunda-feira (10), em um trecho entre a Praia do Canto e o Barro Vermelho.

Na noite desta quarta-feira (12), a reportagem confirmou que a Avenida Rio Branco e imediações estavam com o trânsito normalizado no horário de pico da noite, entre 17h30 e 18h30. 

Foto mostra Avenida Rio Branco, na Praia do Canto, em Vitória, livre por volta das 18h desta quarta (12) após semáforos serem consertados
Foto mostra Avenida Rio Branco, na Praia do Canto, em Vitória, livre por volta das 18h desta quarta (12) após semáforos serem consertados
Foto: A GAZETA

VIDEOMONITORAMENTO

Segundo o secretário, os seis criminosos que foram presos no mês passado foram capturados com a ajuda do videomonitoramento. No entanto, algumas câmeras não são capazes de auxiliar nas identificações dos suspeitos. “Em alguns casos há postes, árvores e placas que atrapalham a visão. Mas as gravações têm ajudado em tempo real a acabar com essa prática”, fala.

Leia também

Agora, de acordo com Fronzio, as equipes que vão repor as fiações estão sendo orientadas pela prefeitura a reforçarem as estruturas de instalação. “Os fios que são subterrâneos estão sendo passados em locais mais profundos e às vezes se usam bases de concreto ou tubulações mais rígidas, como de metal, para dificultar o roubo”, exemplifica.

Questionada, a Secretaria de Transportes, Trânsito e Infraestrutura Urbana de Vitória (Setran) destaca que 25 ocorrências de roubo já foram registradas neste ano. Nelas, o prejuízo foi de R$ 40 mil, já que o órgão precisou repor cerca de 4 mil metros de cabos.

"Assim que acionadas as equipes fazem a manutenção de forma imediata. Para inibir as ações de vândalos e quadrilhas especializadas nesse tipo de crime o órgão tem instalado cabos subterrâneos em estruturas de concreto. Denúncias sobre furtos ou outro tipo de depredação ao patrimônio público devem ser feitas pelo 181 ou no 190", diz trecho da nota da pasta enviada à reportagem. 

Ver comentários