Notícia

A Gazeta lança site mais moderno e reduz jornais impressos

Produção diária de notícias será concentrada na internet. O anúncio foi feito na tarde desta quarta-feira (31) pelo diretor-geral da Rede Gazeta, Café Lindenberg

O diretor-geral da Rede Gazeta, Café Lindenberg, fez o anúncio das mudanças na tarde desta quarta-feira (31) para todos os funcionários da empresa
O diretor-geral da Rede Gazeta, Café Lindenberg, fez o anúncio das mudanças na tarde desta quarta-feira (31) para todos os funcionários da empresa
Foto: Caroline Mauri

A Rede Gazeta anunciou, na tarde desta quarta-feira (31), uma transformação em seu modelo de produção de notícias para alcançar mais leitores: a partir do dia 30 de setembro, o jornal A Gazeta vai deixar o formato impresso diário e ganhar um novo site, mais moderno e próximo das pessoas, que poderão acessar as principais notícias do Espírito Santo e conteúdos exclusivos em tempo real.

O projeto, chamado TDigital, tem por objetivo transformar e potencializar o conteúdo, a marca e o produto A Gazeta na internet. Por isso, o atual portal da Rede Gazeta, Gazeta Online, será substituído pelos novos formatos digitais de A Gazeta: além do novo site, os usuários poderão assinar e ter acesso a newsletters diárias, com as notícias de maior impacto em sua rotina; podcasts e conteúdos distribuídos por aplicativos de voz do Google e da Apple.

Diante da nova estratégia da empresa, o jornal Na! será descontinuado a partir de amanhã. A Gazeta, entretanto, não vai abandonar o papel. Ela vai se tornar, em outubro, um produto semanal, distribuído aos sábados na Grande Vitória e nas principais cidades do Espírito Santo. A proposta é que o novo formato preserve a presença de A Gazeta junto aos leitores que mantêm o hábito de leitura em papel, com reforço aos conteúdos mais analíticos e matérias sobre o cotidiano, com produções especiais e exclusivas.

“O TDigital reflete o que está acontecendo no mundo. A forma de se comunicar mudou e os hábitos das pessoas, também. Elas têm, claramente, trocado os jornais impressos pela informação em tempo real, na internet. Além disso, o cenário econômico, no Brasil e no mundo, impactou muito o modelo de negócio do jornalismo profissional, o que exigiu uma mudança de posicionamento. A produção e distribuição de jornais impressos tornou-se inviável, e o impresso deixou de ser um meio eficiente de distribuição de informação atualizada”, frisa o diretor-geral da Rede Gazeta, Café Lindenberg.

Segundo Café, a transformação digital vai resultar em mais oportunidades de negócios. O novo site de A Gazeta, construído por uma equipe de desenvolvimento digital do próprio grupo com base em experiências e ferramentas garimpadas em diferentes partes do mundo, traz possibilidades inéditas de medição de tráfego, hábitos de consumo dos internautas e performance das notícias.

“Com a ajuda da inteligência artificial, vamos conhecer melhor os nossos clientes e, a partir daí, poderemos pensar soluções e ofertas de mídia não só para quem navega no site de A Gazeta, mas também para o mercado anunciante, que vai conseguir dialogar melhor com seu público-alvo”, frisou o diretor de Negócios Marcello Moraes.

MUDANÇAS

A implementação do projeto TDigital mudou a estrutura da Redação Multimídia. A Gazeta dividirá o mesmo ambiente e a produção de notícias com os jornalistas da Rádio CBN Vitória, que continua sob edição-executiva de Fernanda Queiroz. Juntas, as duas marcas formam a nova Redação A Gazeta/CBN.

Nesta quarta, o diretor corporativo de Jornalismo da Rede Gazeta, Abdo Chequer, anunciou as mudanças. “Dentro de 60 dias vamos mudar de plataforma, levando A Gazeta prioritariamente para o mundo digital. Mas nosso DNA segue o mesmo, continuaremos apostando firme no jornalismo plural, independente, no equilíbrio editorial. Muda a forma de entregar o conteúdo, mas não a nossa essência, o nosso compromisso com a verdade”, salientou Chequer.

Para o comando das equipes de A Gazeta e CBN foi escalada a jornalista Elaine Silva, que desde 2014 ocupava o cargo de editora-executiva. Elaine está na Rede Gazeta desde 1999. Foi aluna da 1ª turma do Curso de Residência em Jornalismo e, desde então, ocupou cargos de repórter de Cidades, editora-adjunta de Economia, editora de Economia e macroeditora de Hard News (Economia, Política e Internacional).

Formada pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), a nova editora-chefe de A Gazeta tem MBA em Gestão de Empresas de Mídia pela Universidade de Vila Velha e pós-graduação em Gestão de Empresas de Comunicação no Master em Jornalismo da Faculdade de Comunicação da Universidade de Navarra.

Ver comentários