Notícia

ArcelorMittal explica pó preto brilhante na Serra e "lamenta incômodo"

Ao todo, a empresa já foi multada em R$ 11,7 milhões pela poluição causada no bairro Praia de Carapebus, na Serra

Poeira preta que atinge o bairro Praia de Carapebus, na Serra
Poeira preta que atinge o bairro Praia de Carapebus, na Serra
Foto: Divulgação

A empresa ArcelorMittal afirma que o pó preto brilhante que tanto incomoda os moradores do bairro Praia de Carapebus, na Serra, “possivelmente” veio do peneiramento de coprodutos da empresa, entre eles, a carepa.

Esse último, uma película de óxido de ferro que se forma na superfície do aço laminado a quente, foi encontrado por fiscais ambientais tanto na casa das pessoas quanto em vistoria na empresa, no último 2 de julho.

Por conta dessas emissões de partículas, o Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema), emitiu dez multas à empresa, que totalizam R$ 2,7 milhões. No último dia 12, a Prefeitura da Serra já havia multado a empresa ArcelorMittal em R$ 9 milhões.

No comunicado enviado nesta quarta-feira (17), a ArcelorMital afirma que “ lamenta eventuais incômodos causados à comunidade de Praia de Carapebus”.

No mesmo documento, a ArcelorMittal explicou que o local onde é produzido o briquete - prensado de materiais que “sobram” da produção da empresa, incluindo a carepa - estava em parada programada para obras de investimentos ambientais. Essa paralisação teria ocasionado uma maior concentração de partículas finas, o que levou a uma necessidade de peneiramento maior para que os materiais fossem reciclados internamente.

A empresa afirma que, diferente do que foi divulgado pela Prefeitura da Serra, o briquete, que contém carepa, não é material perigoso. “Esclarece que todos os componentes do briquete, incluindo a carepa, são classificados como não perigosos, de acordo com laudos emitidos por laboratório independente, seguindo norma da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).”

Como o Gazeta Online noticiou na semana passada, desde maio, a “chuva” de pó preto com partículas brilhantes tem assustado moradores da Serra. Muitos se preocupavam com a questão da saúde, pois não sabiam do que se tratava o material. A “chuva” era mais visível de madrugada, segundo os moradores. O município diz que houve aumento na procura por serviços de saúde de pessoas com problemas respiratórios relacionados à inalação de partículas.

A multa foi fruto de vistorias realizadas nas dependências da empresa e em oito residências em três ruas diferentes no bairro Praia de Carapebus.

Segundo o relatório da visita da Prefeitura da Serra, finalizado na sexta-feira (12), a ArcelorMittal opera com baixa eficiência em seus controles ambientais. E além de danos ao meio ambiente, a presença desses particulados no ar é causador também de problemas respiratórios. “Nosso objetivo foi apurar a denúncia da população que vem desenvolvendo cada vez mais doenças respiratórias provocadas pelo pó preto”, explicou Laís Garcia, secretária interina de Meio Ambiente.

Ver comentários