Notícia

Governo do ES estuda a implantação de sexta faixa na Terceira Ponte

A possível alteração no projeto foi confirmada pelo diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem do Espírito Santo (DER-ES), Luiz Cesar Maretto

Governo do Estado estuda quais mudanças serão feitas na Terceira Ponte
Governo do Estado estuda quais mudanças serão feitas na Terceira Ponte
Foto: Marcelo Prest

Em outubro de 2018 a Agência de Regulação de Serviços Públicos do Espírito Santo (Arsp) anunciou que o trânsito da Terceira Ponte passaria por alterações, com a retirada da divisão central das pistas e a inclusão de uma quinta faixa. No entanto, nove meses depois do anúncio, o Governo do Estado estuda a possibilidade de contar com mais uma faixa na Terceira Ponte, saltando de cinco para seis, sendo três em cada sentido.

A possível alteração no projeto foi confirmada na manhã desta quarta-feira (31), pelo diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem do Espírito Santo (DER-ES), Luiz Cesar Maretto, em uma palestra para empresários de Vila Velha.

Maretto afirmou que o estudo de ampliação das faixas na Terceira Ponte foi solicitado pelo secretário de Mobilidade e Infraestrutura, Fábio Damasceno. Equipes técnicas do Governo estão analisando as duas possibilidades, ou seja, a implementação de uma quinta faixa ou a ampliação para que a ponte comporte seis faixas. A decisão sobre o projeto escolhido deve ser tomada ao longo do mês de agosto.

"Nós estamos em um debate técnico dentro do Governo. Alguns profissionais entendem que tinha sido executado através da Agência (Arsp) uma solução com cinco faixas. O secretário Fábio (Damasceno) entende que seis faixas é possível. Ele está desenvolvendo o projeto com seis faixas", disse Maretto.

Procurado pela reportagem da Rádio CBN Vitória, o secretário Fábio Damasceno preferiu não comentar sobre o projeto e afirmou que novidades serão divulgadas em breve.

TRÂNSITO COM A QUINTA FAIXA

De acordo com o que foi anunciado pela Arsp no final do ano passado, em relação à implantação da quinta faixa, a mureta central da ponte seria retirada, dando lugar a uma quinta pista na via. Sem a estrutura física de divisão entre os sentidos Vitória e Vila Velha, essa nova faixa do meio seria neutra e poderia variar de sentido de acordo com a sobrecarga no fluxo de veículos.

A previsão era de que no horário de pico pela manhã, usuários com destino a Vitória contassem com três faixas para trafegar. Já à tarde, as três faixas funcionariam no sentido oposto. 

Ver comentários