Notícia

Minibombeira de 3 anos realiza sonho e visita quartel no ES

A pequena Helena Liberato, que tem até uniforme da corporação, encantou os militares

A tenente Carla Andresa recebeu Helena no quartel da corporação, em Vitória
A tenente Carla Andresa recebeu Helena no quartel da corporação, em Vitória
Foto: Fernando Madeira

Bonecas e panelinhas são os brinquedos preferidos de muitas crianças, mas para a pequena Helena Liberato, de 3 anos, nada disso faz seus olhos brilharem. Sua paixão é outra: o Corpo de Bombeiros. E a criança veste a camisa da corporação com direito a uniforme. Na última quarta-feira (10), a menina visitou o Quartel dos Bombeiros, na Enseada do Suá, em Vitória.

O passatempo preferido dela é assistir vídeos de resgates da corporação na internet. “Eles ajudam as crianças, salvam bichinhos e mulheres grávidas”, conta Helena, que, em poucas palavras, mostrou a admiração pelos militares.

VÍDEO

Para o dia junto aos bombeiros, ela mal dormiu, conta a mãe Flavia Liberato Paixão, de 34 anos. “Desde cedo estava com a expectativa de conhecer os carros”.

Helena teve contato com a profissão pela primeira vez há um ano. Uma prima de Flavia se casou com um militar e a menina assistiu ao vídeo da cerimônia. “Quis saber o que era o uniforme que ele vestia e porque estava marchando”, comenta a tia-avó da criança, Marilena Liberato.

Helena andou no caminhão dos Bombeiros, colocou uniforme e capatece da corporação e posou batendo continência ao lado de equipe de militares
Helena andou no caminhão dos Bombeiros, colocou uniforme e capatece da corporação e posou batendo continência ao lado de equipe de militares
Foto: Fernando Madeira

“Desde que ela o viu fardado surgiu esse interesse de saber o que os bombeiros faziam. Ela passou a buscar vídeos na internet para ver o que salvavam. Ela assistiu fazerem o parto de uma grávida, desengasgando crianças, salvando animais... e se encantou”, revela a mãe.

Como só a paixão não bastava, a criança ainda pediu para que a família fizesse um uniforme para ela. “A gente foi na costureira e tentou fazer uma adaptação. Se pudesse, ela passaria dia e noite com a roupa. Tem que esconder para conseguir lavar”, diz Flavia.

E assim ela foi vestida ao quartel: de calça chumbo, camisa bege, cinto vermelho e emblema no ombro. A timidez durou poucos minutos. Camuflada, Helena batia a continência ensaiada em casa para os militares.

Helena andou no caminhão dos Bombeiros, colocou uniforme e capatece da corporação e posou batendo continência ao lado de equipe de militares
Helena andou no caminhão dos Bombeiros, colocou uniforme e capatece da corporação e posou batendo continência ao lado de equipe de militares
Foto: Fernando Madeira

Recebida por uma comitiva, Helena foi levada pelos bombeiros para passear de ambulância, de caminhão e até a roupa oficial do combate a incêndios a menina vestiu. Questionada se ela quer ser bombeira quando crescer, ela confirma e diz: “eu amo isso daqui”.

A Tenente do Corpo de Bombeiros Carla Andresa, que recebeu Helena, conta que a admiração da menina é muito carinhosa. “Sentimos uma felicidade e uma gratidão muito grande quando conhecemos uma criança que quer ser bombeira e se interessa pela nossa profissão”.

Flavia apoia o sonho da filha: “é a Sargento Helena”.

Ver comentários