Notícia

Moradores esperam que Força Nacional reduza violência em Cariacica

Os bairros de Cariacica com mais mortes nesse primeiro semestre foram Vila Graúna, Itanguá, Bandeirantes e Aparecida, com cinco homicídios cada.

Vista de parte de Cariacica a partir do Morro da Fonte Grande, em Vitória
Vista de parte de Cariacica a partir do Morro da Fonte Grande, em Vitória
Foto: Prefeitura Municipal de Cariacica/Reprodução/Facebook

O medo ronda os bairros com maior número de homicídios em Cariacica. Os moradores esperam que a chegada da Força Nacional amenize o grave problema da insegurança nessas comunidades. Os bairros com mais mortes nesse primeiro semestre foram Vila Graúna, Itanguá, Bandeirantes e Aparecida, com cinco homicídios cada. Em seguida, aparece Bela Aurora, com três mortes.

Antes prevista para começar no início do mês de julho e acontecer em 16 bairros de Cariacica, a atuação de 80 agentes da Força Nacional patrulhando ruas da cidade foi adiada para começar no dia 28 de agosto deste ano. O número de bairros que serão monitorados também aumentou de 16 para 28.

> Por que Cariacica foi a cidade escolhida

 

O Ademir de Jesus, morador de Bela Aurora, espera que a Força Nacional aumente a segurança do bairro. "A gente praticamente vive preso dentro de casa. Eu que sou comerciante não saio para ir no ponto de ônibus depois de 20h", lamenta.

Quem também vive amedrontada no bairro é a doméstica Laurinete Pereira. "Ninguém está aguentando mais. Não se pode mais andar com o celular na rua porque eles vêm com o revólver pra cima de você. Um dia desses espancaram o cara aqui no bairro. Ninguém está aguentando mais, todo mundo tem muito medo. Quando dá dez horas noite, não dá nem mais para ficar aqui na pracinha", desabafa.

TRÁFICO TEM LIGAÇÃO COM MORTES

Leia também

Em conversa com a reportagem da rádio CBN Vitória, o delegado Tarik Souki, titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de

Cariacica

, explicou que a maior parte desses homicídios está ligada ao tráfico de drogas. "Quase que a totalidade desses homicídios estão ligados ao conflitos relacionados ao narcotráfico: disputas territoriais, acerto de contas com devedores e vingança contra rivais", complementou.

Ainda segundo o delegado, a Polícia Civil realiza constantes operações para reduzir o número de mortes nesses bairros. A Polícia vai atuar de forma parceira com a Força Nacional, que começa a atuar em Cariacica a partir do final de agosto. Vinte e oito bairros serão monitorados pela atuação de 80 agentes da Força Nacional.

A princípio, as tropas atuariam em 16 bairros contemplados pelas ações do programa Estado Presente, como Flexal I, Flexal II e Nova Rosa da Penha. Entretanto, outros 12 bairros foram incluídos na operação.

Agentes da Força Nacional de Segurança, que podem reforçar o policiamento em Cariacica.
Agentes da Força Nacional de Segurança, que podem reforçar o policiamento em Cariacica.
Foto: Divulgação

FORÇA NACIONAL EM CARIACICA

Início das investigações: Em julho

Chegada de grupo para patrulhamento: 28 de agosto

Quantidade: 100 agentes

Duração: 4 meses

Locais: 28 bairros

Equipamentos: 20 viaturas, 100 fuzis e 100 pistolas

Organização: Dos 100 agentes, 80 ficaram em alojamentos da PM e atuaram no patrulhamento ostensivo. 20 vão atuar na parte investigativa, e ficarão em alojamentos da Polícia Civil

16 bairros escolhidos no primeiros planejamento: Flexal I, Flexal II, Graúna, Padre Gabriel, Alzira Ramos, Castelo Branco, Jardim Botânico, Jardim de Alah, Rio Marinho, Nova Esperança, Nova Rosa da Penha, Bandeirantes, Bela Aurora, Maracanã, Vista Mar e Vila Isabel

12 novos bairros escolhidos: Cariacica Sede, Prolar, Aparecida, Porto de Santana, Porto Novo, Itacibá, Nova Brasília, Nova Valverde, Mucuri, Campo Grande e Vila Capixaba.

Ver comentários