Notícia

Mulher cai e bate a cabeça após tentar saltar de ônibus em Cariacica

O caso aconteceu na linha 598 (Vila Progresso / Terminal de Carapina). A vítima foi socorrida e encaminhada para um hospital da região

Marli Brito da Silva, de 53 anos, ficou ferida após tentar saltar do ônibus em Cariacica.
Marli Brito da Silva, de 53 anos, ficou ferida após tentar saltar do ônibus em Cariacica.
Foto: Arquivo pessoal

A autônoma Marli Brito da Silva, de 53 anos, caiu e bateu a cabeça após tentar saltar de um ônibus do sistema Transcol - linha 598 (Vila Progresso / Terminal de Carapina) por volta das 18h20 desta quarta-feira (03).

Na ocasião, ela e a filha de 22 anos, Laila Maria da Silva Falcão, saíram do bairro Carapina, na Serra, em direção a Cariacica. Quando começaram a saltar coletivo, o motorista teria acelerado o veículo. Laila conseguiu saltar, mas a mãe ficou com parte presa na porta do coletivo, que estava em movimento. Ela acabou caindo na rua e teve ferimentos.

A vítima foi socorrida e encaminhada para um hospital da região, fez exames e o estado de saúde é estável.

Leia também

As duas alegam que o caso foi comunicado à

Companhia Estadual de Transportes Coletivos de Passageiros do Estado do Espírito Santo (Ceturb/ES)

e que a empresa não prestou nenhum tipo de assistência.

Devido ao acidente, Laila disse que a mãe - que presta serviços domésticos - não conseguirá trabalhar até se recuperar das dores e do susto. "Quero que respondam por não prestarem nenhum socorro à minha mãe", diz.

OUTRO LADO

Acionada pela reportagem, a Ceturb informou que, em casos de acidente de trânsito, o GVBus é que possui a responsabilidade civil e a relação de trabalho com motoristas.

Já o GVBus afirma que havia um fiscal em um coletivo que vinha logo atrás ao envolvido no acidente. Ele prestou socorro à vítima e chamou o SAMU. A empresa declara ainda que enviou um supervisor até o local e que o caso está sendo acompanhado.

Ver comentários