Notícia

Prefeitura multa ArcelorMittal por "chuva" de pó preto na Serra

Análise comprovou presença de minério de ferro com carvão no pó preto recolhido, e também identificado a presença de carepa, classificado como perigoso

"Chuva" de pó preto incomoda e assusta moradores na Serra
"Chuva" de pó preto incomoda e assusta moradores na Serra
Foto: Divulgação

A Prefeitura da Serra multou a empresa ArcelorMittal em R$ 9 milhões após constatar no bairro Praia de Carapebus a presença de partículas provenientes de emissões fugitivas da área de produção da empresa, o famoso pó preto. A multa será entregue à empresa na segunda-feira (15).

Como o Gazeta Online noticiou na semana passada, há cerca de 40 dias a “chuva” de pó preto tem assustado e incomodado os moradores da Serra. Muitos se preocupam com a questão da saúde, pois não sabem exatamente do que se trata o material. Alguns moradores já cogitavam até se mudar, para não expor mais os filhos e netos à poluição. 

A multa foi fruto de vistorias realizadas nas dependências da empresa e em oito residências em três ruas diferentes no bairro Praia de Carapebus, onde moradores relataram problemas respiratórios causados pelo pó preto.

As vistorias foram realizadas em junho e julho pelas equipes de fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente (Semma) da Prefeitura juntamente com Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema), que é o órgão licenciador.

PRODUTO PERIGOSO

Na ocasião foi constatada e comprovada a presença do mesmo tipo de material, minério de ferro misturado com carvão, tanto nas residências quanto nas dependências da empresa. Também foi identificada a presença de carepa (película de óxido de ferro que se forma na superfície do aço laminado a quente), um co-produto classificado como perigoso nos pátios da empresa.

Segundo o relatório da visita, finalizado nesta sexta-feira (12), a Arcelor opera com baixa eficiência em seus controles ambientais. E além de danos ao meio ambiente, a presença desses particulados no ar é causador também de problemas respiratórios. “Nosso objetivo foi apurar a denúncia da população que vem desenvolvendo cada vez mais doenças respiratórias provocadas pelo pó preto”, explicou Laís Garcia, secretária interina de Meio Ambiente.

Questionada sobre o caso, a ArcelorMittal Tubarão informou que, "como não foi recebido o auto de multa da Prefeitura Municipal de Serra, não conhece o teor do mesmo para esclarecimentos".

Ver comentários