Notícia

Bandidos criam contas falsas para assaltar motoristas de aplicativo

Em pesquisa feita pela Associação dos Motoristas de Aplicativos do Espírito Santo, 19% dos entrevistados dizem que já foram assaltados

Sequência de panes no final da tarde desta sexta-feira (16) deixou trânsito lento e intenso na Terceira Ponte

Bandidos da Grande Vitória estão criando perfis falsos para solicitar viagens e assaltar os motoristas de aplicativos. Essa é a afirmação feita pelo presidente da Associação dos Motoristas de Aplicativo do Espírito Santo (Amapes), Luiz Fernando Muller. Em uma pesquisa feita pela associação, 72% dos motoristas assaltados disseram que a viagem onde o crime aconteceu foi solicitada em algum aplicativo de transporte.

A pesquisa feita pela associação ouviu 259 motoristas da Grande Vitória durante quatro meses. Entre os entrevistados, 19% afirmaram que já foram assaltados pelo menos uma vez - cerca de 49 motoristas. 

> Homem achado morto em porta-malas estava desaparecido desde quarta-feira

Luiz Fernando Muller afirmou que alguns motoristas já foram surpreendidos e encontraram assaltantes que se passaram por passageiros. Segundo o representante dos motoristas, o modo de atuação mais usado por assaltantes é um homem solicitar viagens usando uma conta falsa em nome de uma mulher.

Se a gente receber uma chamada de uma mulher e a gente percebe que é um homem, a gente vai recusar (a embarcar). A não ser que o passageiro avise. Fora isso, a gente tem recusado. Passou e viu que no local tem um homem, nem para. Um local mais ermo, quando você chega lá aparecem dois homens. Eles estão usando dessa artimanha para assaltar os motoristas
Luiz Fernando Muller, presidente da Associação dos Motoristas de Aplicativo do Espírito Santo (Amapes)

MÉDIA DE ATÉ CINCO ASSALTOS POR DIA

Associação estima que a Grande Vitória tem cerca de 12 mil motoristas cadastrados. Tendo como base os dados da pesquisa, o presidente da associação acredita que mais de 2.200 motoristas de aplicativo já foram vítimas de assalto na região. De acordo com Luiz Fernando Muller, a Associação recebe uma média de cinco denúncias de assalto por dia na Grande Vitória.

"A gente estima sete ou oito assaltos por semana. Com a participação que a gente vê nos grupos (da Associação), são cerca de quatro ou cinco assaltos por dia", explicou.

POLÍCIA CIVIL ORIENTA AS VÍTIMAS

Procurada pela reportagem, a Polícia Civil informou não existem levantamentos relacionados à profissão das vítimas de roubo e furto de veículos.

A PC informou que todos os casos formalmente registrados em delegacias são investigados. Quando ocorre  o roubo de um veículo, a investigação é conduzida pela Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos, que trabalha cada caso pontualmente.

> Prisão de motorista de aplicativo gera protesto na Serra

Em casos onde o alvo dos meliantes não é o carro, mas os pertences pessoais da vítima, a investigação fica a cargo da Delegacia Distrital da região onde o fato ocorreu.

A Polícia Civil orienta que as vítimas sempre registrem a ocorrência, munidas de todo material que comprove o crime, pois a investigação depende desse registro para ser iniciada.

Ver comentários