Notícia

O que sabemos sobre a greve de ônibus desta segunda na Grande Vitória

Justiça havia exigido que 75% dos ônibus circulassem, porém determinação não foi cumprida nesta segunda-feira. Rodoviários decidiram manter greve, mas disseram que vão obedecer a ordem judicial nesta terça-feira

Ônibus do sistema Transcol com ar condicionado
Ônibus do sistema Transcol com ar condicionado
Foto: Fernando Madeira

O Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários do Espírito Santo (Sindirodoviários) deflagrou nesta segunda-feira (12) uma greve no sistema Transcol. Demanda pelo governo, a Justiça havia determinado que pelo menos 75% da frota de ônibus da Grande vitória circulasse, sob pena de multa diária de R$ 100 mil. Contudo, poucos ônibus circularam na Grande Vitória.

O presidente do Sindirodoviários, José Carlos Sales, e o secretário de Estado de Mobilidade e Infraestrutura (Semobi), Fábio Damasceno, se reuniram nesta manhã para negociações. Durante o encontro, Damasceno apresentou o Programa de Qualificação para Cobradores, com 10 medidas que, na avaliação do governo estadual, vão garantir que os profissionais sejam mantidos em novos postos de trabalho.

Assembleia com rodoviários no Centro de Vitória

O QUE FICOU DECIDIDO?

Em assembleia na tarde desta segunda-feira, no Centro de Vitória, os rodoviários decidiram continuar com a greve. O sindicato garantiu que vai cumprir a ordem judicial e manterá 75% da frota dos ônibus. Segundo o presidente do Sindirodoviários, José Carlos Salles, a orientação é que os ônibus voltassem a circular a partir das 17h. O rodoviários também decidiram que não vão aceitar as medidas apresentadas pelo governo.

POR QUE A PARALISAÇÃO?

O sindicato é contra os novos tipos de ônibus, refrigerados, que deveriam começar a rodar nesta segunda-feira. Os veículos não circularão com cobradores. O governo diz determinou às empresas a requalificação desses trabalhadores para que eles sejam direcionados a outras funções. O sindicato entende que a medida vai ocasionar mais demissões, em pleno contexto de desemprego em alta.

O QUE OS RODOVIÁRIOS QUEREM?

De acordo com o sindicato, os rodoviários querem o fim do projeto da circulação dos novos ônibus. São 26 ônibus que contemplam oito linhas troncais, de terminal a terminal: 501, 503, 504, 508, 516, 523, 572 e 591. Eles vão circular de 6 horas às 21 horas. Terão ar-condicionado e não terão a função de cobrador. A cobrança de passagens será somente por meio do Bilhete Único. Segundo o governo, isso vai acelerar o tempo de embarque em até 70%.

O Sindirodoviários diz que vai continuar realizando negociações e assembleias com a classe. O governo, porém, disse que não vai recuar da decisão de rodar sem cobrador.

Terminal de Laranjeiras. Nenhum ônibus está saindo. Motoristas e cobradores sentados
Terminal de Laranjeiras. Nenhum ônibus está saindo. Motoristas e cobradores sentados
Foto: Iara Diniz

ÔNIBUS CIRCULARAM?

Segundo o governo do Estado, de um total de 1.500 ônibus, 50 circularam hoje na Grande Vitória. O que se viu nas ruas foram poucos ônibus circulando, pontos lotados e muito atraso. Em alguns terminais, como o de Laranjeiras, nenhum coletivo saiu do local. 

> A greve dos rodoviários na Grande Vitória pelo olhar de um fotógrafo

Motoristas e cobradores de ônibus que decidiram trabalhar durante a greve dos rodoviários foram abordados e retirados dos veículos no Centro de Vitória. A reportagem do Gazeta Online flagrou pelo menos três ônibus que fazem as linhas municipais sendo parados por representantes dos Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários do Espírito Santo (Sindiroviários).

Rodoviários param ônibus e obrigam o cobrador a descer
Rodoviários param ônibus e obrigam o cobrador a descer
Foto: Fernando Madeira

Ainda no Terminal de Laranjeiras, os rodoviários esvaziaram os pneus e arrancaram as chaves da ignição de um dos novos ônibus quando um motorista tentava sair. 

O QUE DIZ A JUSTIÇA?

A Justiça havia expedido duas liminares- uma sábado (10) e outra nesta segunda-feira, exigindo que 75% da frota fosse mantida durante a greve e determinando uma multa de R$ 100 mil caso a ordem seja descumprida. Porém, nesta noite, uma nova decisão do Tribunal de Justiça do Estado aumentou a multa a ser aplicada ao Sindicato dos Rodoviários pelo descumprimento de decisão judicial para o valor de R$ 200 mil por dia

COMO FICOU A SITUAÇÃO?

A greve está mantida e o Sindirodoviários garante que manterá 75% da frota circulando nesta terça-feira (13). Na noite de ontem, o sindicato e o Governo do Estado participaram de uma audiência convocada pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT-ES) para tentar solucionar a greve dos rodoviários. O TRT-ES apresentou uma proposta para ambas as partes que ficaram de analisar as medidas e voltarão a se reunir nesta terça-feira para uma nova reunião. 

Ver comentários