Notícia

Operação prende duas pessoas por suspeitas de fraude no Detran

Segundo o MPES, foram presos um servidor do departamento de trânsito e uma pessoa que seria a intermediária do esquema

Nova fase da Operação Replicante, que apura fraudes no Detran, foi deflagrada nesta segunda (12).
Nova fase da Operação Replicante, que apura fraudes no Detran, foi deflagrada nesta segunda (12).
Foto: Divulgação/MPES

A Operação Replicante do Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES) cumpriu mais dois mandados de prisão temporária e de busca e apreensão, nesta segunda-feira (12), em Marataízes e Itapemirim. A apuração aponta para fraudes em registros de veículos junto ao Detran.

Segundo o MPES, foram presos um servidor do Detran e uma pessoa que seria a intermediária do esquema. As ações são realizadas por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), em conjunto com o Núcleo de Inteligência da Polícia Rodoviária Federal (PRF-ES).

A primeira fase da operação foi deflagrada no dia 01 de agosto, com a prisão de 10 pessoas e os mandados, cumpridos nesta segunda-feira (12), foram expedidos pela 3ª Vara Criminal de Vila Velha, em continuidade às investigações. O MPES informou que as investigações seguem sob sigilo. e que está analisando o material apreendido e ouvindo os detidos.

O objetivo da apuração é apurar a existência de uma organização criminosa destinada à prática de fraudes em registros de veículos no Estado do Espírito Santo com dados e documentos falsos no sistema do Detran-ES. Estão sob investigação 895 registros de veículos, uma fraude estimada em mais de R$ 100 milhões.

Em nota, o Detran informou que "ainda não foi comunicado oficialmente e, por isso, não comentará o assunto".

Ver comentários