Notícia

Postos negam GNV a motoristas de carro com kit gás irregular no ES

Maioria dos postos está exigindo selo do Inmetro para comprovar que kit está regular, levando condutores a formarem longa fila em credenciada para regularizarem a situação

Motoristas na fila de empresa credenciada, em Jardim América, que faz inspeção veicular
Motoristas na fila de empresa credenciada, em Jardim América, que faz inspeção veicular
Foto: Vitor Jubini

Postos de combustível da Grande Vitória aumentaram o rigor no abastecimento de carros com Gás Natural Veicular (GNV). Na maior parte deles agora, o frentista só faz esse tipo de abastecimento depois de checar o cilindro e de olhar o selo do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), que mostra que o carro está regular. Se o veículo estiver irregular, o motorista acaba ficando sem combustível.

>Motoristas aprovam segurança após lei sobre abastecimento de GNV

Isso tem provocado uma corrida de motoristas às empresas credenciadas ao Inmetro para regularizar o veículo, que registram filas enormes. Em uma delas, na BR 262, em Cariacica, a sequência de carros começa na rodovia federal, mas termina dentro do bairro Jardim América.

 

Desde o ano passado, está em vigor uma lei estadual que proíbe os postos de abastecerem com GNV os carros que não seguem as normas do Inmetro. A lei ainda manda os motoristas descerem do carro antes de abastecer a gás.

Motoristas na fila de empresa credenciada, em Jardim América, que faz inspeção veicular
Motoristas na fila de empresa credenciada, em Jardim América, que faz inspeção veicular
Foto: Vitor Jubini

As medidas foram adotadas depois que um carro explodiu em um posto de Vila Velha. A maioria dos postos, no entanto, ignoravam a determinação. Há duas semanas, houve uma fiscalização do Ministério Público Estadual em um posto da Serra, com a presença até da Polícia Militar Isso deixou em alerta os empresários do setor, que passaram a seguir a lei com mais rigidez.

Motoristas que precisar fazer ou renovar a inspeção veicular chegam a perder um dia de trabalho nas filas das credenciadas do Inmetro, que tiveram um aumento de demanda muito grande e nem sempre conseguem atender todo mundo rápido.

A assistente administrativa Mauriceia Helena é uma dessas motoristas. Ela ficou assustada com a fila em uma dessas empresas na BR 262. "A fila está enorme, imensa. É a primeira vez que eu venho, mas eu fiquei horrorizada. Deveria ter mais lugares para fazer porque aí facilitava para a gente", reclama.

O aposentado Paulo Sergio Nogueira enfrentou essa mesma fila em Cariacica pelo segundo dia seguido.

Todo mundo veio de uma vez só e está causando esse congestionamento todo
Paulo Sergio Nogueira, aposentado

"Ontem, eu vim e meu carro foi reprovado na questão do freio. Mandei acertar e voltei hoje. Ontem eu cheguei às 7h40 e saí às 13h30", conclui Paulo Sergio.

Em uma outra credenciada, em Vila Velha, a situação era a mesma. E o Elias Firmino, que é motorista de aplicativo, chegou por lá às 7 horas sem saber quando voltaria para casa.

Leia também

"Muita fila. Ontem eu estive aqui e eles não puderam me atender às 16 horas porque já tinha acabado as senhas. Mandaram que eu voltasse hoje. Voltei, peguei essa fila e nem sei que horas vou sair", relata.

Todos os veículos com kit gás instalado devem passar por uma inspeção anual, que custa quase R$ 300. Em nota, o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado do Espírito Santo (Sindipostos-ES) afirma que não concorda com a lei porque ela transfere para o posto a responsabilidade da fiscalização, que não deveria lhe caber.

Ver comentários