Notícia

Rodoviários aceitam acordo e decidem pelo fim da greve na Grande Vitória

Decisão foi tomada em assembleia realizada na tarde desta terça-feira (13) no Centro de Vitória

Assembleia do Sindirodoviários nesta terça-feira (13) no Centro de Vitória
Assembleia do Sindirodoviários nesta terça-feira (13) no Centro de Vitória
Foto: José Carlos Schaeffer | CBN Vitória

Fim da greve! Os rodoviários decidiram, em assembleia na tarde desta terça-feira (13), acabar com a paralisação da categoria que afetou o funcionamento do sistema de ônibus da Região Metropolitana da Grande Vitória. Eles fizeram um acordo de conciliação intermediado pelo Tribunal Regional do Trabalho e pelo Ministério Público do Trabalho.

As novas propostas, que foram aceitas pela categoria, são:

1. Os cobradores atuarão num prazo de 60 dias como auxiliares de bilhetagem com vistas a salvaguardar o cidadão que tiver dúvidas bem como a assistir aqueles que são idosos, deficientes físicos, gestantes e crianças; tudo de forma a aprimorar o novo sistema

2. Serão oportunizados no minimo 3 cursos de requalificação voltados ao aproveitamento dos cobradores, dentro de atividades do próprio sistema e, para aquele ex-cobrador que desejar ser motorista o curso sera fornecido até que ele atinja o seu nível profissional e, para os ex-cobradores que desejarem exercer outras funções serão necessariamente ofertados os cursos de mecânico, eletricista e auxiliar administrativo, dentre outros que as partes julgarem adequados a nova realidade

3. Conforme texto da proposta datada de ontem, as partes e o Estado mantêm o aceite quanto à existência de comissão tripartite nos moldes já aprovados

4. Que seja reconhecida a garantia provisória no emprego ao empregado ex-cobrador pelo prazo total de 20 meses a partir do momento em que ele deixa sua função para ser qualificado em razão da entrada em operação de ônibus que não tenha posto de cobrador. Fica vedada a possibilidade de que o ex-cobrador, em processo de requalificação, seja chamado a retomar sua função anterior. 

5. Prazo de 60 dias para Programa de Demissão Voluntária (PDV) para cobradores que não quiserem aderir novo modelo.

500 MIL PASSAGEIROS AFETADOS

A Companhia Estadual de Transportes Coletivos de Passageiros do Estado do Espírito Santo (Ceturb/ES) relatou que 500 mil passageiros foram afetados pela paralisação dos rodoviários nesta segunda-feira (12).

PREJUÍZO DE R$ 10 MILHÕES NO COMÉRCIO

O presidente da Fecomércio, José Lino Sepulcri, estima que falta de ônibus e a não circulação dos consumidores vão causar um prejuízo de R$ 10 milhões ao comércio da Grande Vitória nesta segunda.

“Lamentamos profundamente mais um dia de prejuízo em todo o setor produtivo e em toda cadeia que envolve o comércio, a indústria e os serviços terceirizados. Hoje nós vamos contabilizar, no mínimo, R$ 10 milhões de prejuízo. Vamos deixar de faturar”.

> Greve dos rodoviários: a volta para casa no primeiro dia de paralisação

"PREJUÍZO DE R$ 442 MILHÕES POR DIA", DIZ FINDES

A Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes) informou, por meio de nota, nesta segunda-feira (12), que repudia a paralisação dos rodoviários no formato em que se apresenta. A entidade prevê prejuízos de R$ 422 milhões por dia útil, "considerando Indústria, Comércio, Serviços e Agro". Inicialmente, a Findes havia divulgado que o prejuízo seria de R$ 410 milhões.

"Pelo menos 500 mil trabalhadores, de acordo com a Ceturb, estão impedidos de chegar aos seus postos de trabalho, o que afeta profundamente a produção da indústria, cujo faturamento por dia útil gira em torno de R$ 287 milhões. Considerando Indústria, Comércio, Serviços e Agro, o valor chega a R$ 422 milhões por dia útil", informou, por meio de nota.

> O que sabemos sobre a greve de ônibus desta segunda na Grande Vitória

COBERTURA FOTOGRÁFICA DA GREVE EM VITÓRIA

Após uma nova audiência de conciliação, chega ao fim a greve dos rodoviários na Grande Vitória, na tarde desta terça-feira (13). A rodada de negociações entre rodoviários, empresários, governo do Estado, Ministério Público do Trabalho (MPT) e Tribunal Regional do Trabalho (TRT) começou às 14h, no TRT, em Vitória.