Notícia

Sarampo no ES: veja como está a campanha de vacinação na sua cidade

Municípios da Grande Vitória promovem ações de vacinação contra o sarampo. Confira os locais e os horários para se vacinar

 Vacina é única forma de prevenir o sarampo
Vacina é única forma de prevenir o sarampo
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Foi confirmado, nesta segunda-feira (12), o primeiro caso de sarampo no Espírito Santo em seis anos. Há ainda, segundo a Secretaria de Estado de Saúde (Sesa), mais dois casos suspeitos, um em Viana e outro em Vila Velha. Mas, afinal, como saber quem precisa ser vacinado? Leia o nosso guia e tire suas dúvidas. 

INDICAÇÃO

A vacina de sarampo, chamada tríplice viral, é indicada a partir dos 12 meses de idade até os 49 anos. A tríplice viral imuniza, além do sarampo, a rubéola e caxumba.

QUEM PRECISA DA VACINA?

- A primeira dose é aplicada aos 12 meses de vida com a vacina tríplice viral, que protege contra sarampo, caxumba e rubéola.

- A segunda dose é aplicada aos 15 meses de vida, na vacina tetra viral, que previne sarampo, caxumba, rubéola e varicela.

Tomou apenas uma dose até os 29 anos de idade?

- Se você tem entre 1 e 29 anos e recebeu apenas uma dose, recomenda-se completar o esquema vacinal com a segunda dose da vacina;

- Quem comprova as duas doses da vacina do sarampo, não precisa se vacinar novamente.

Não tomou nenhuma dose, perdeu o cartão ou não se lembra?

- De 1 a 29 anos - São necessárias duas doses;

- De 30 a 49 anos - Apenas uma dose.

HÁ GRUPOS DE RISCOS?

-Os trabalhadores da saúde, grupo de alto risco, devem ter duas doses da vacina tríplice viral, independente da faixa etária.

- Caso não lembre se tomou a vacina e não tenha a carteira de vacinação a pessoa deve ir até a Unidade de Saúde para verificar se há registro e se não houver registro, a imunização deve ser realizada.

Dia D de mobilização da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e Sarampo.
Dia D de mobilização da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e Sarampo.
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

QUEM NÃO PODE SER VACINADO?

- Casos suspeitos de sarampo 

- Gestantes 

- Menores de 6 meses de idade

- Pessoas com o sistema imunológico imunocomprometido.

CASOS ESPECIAIS

- Mães que estão amamentando: podem tomar a vacina, mesmo no primeiro dia pós-parto.

- Mulheres que querem engravidar: depois da vacina, idealmente deve-se esperar 30 dias para engravidar. Se tomou a vacina e não sabia que estava grávida, converse com seu médico.

- Alergia a ovo: pode tomar a vacina se a alergia não for grave.

- Alergia grave ao ovo: converse com seu médico.

- Tomou a vacina da febre amarela há menos de 30 dias: aguarde pelo menos 1 mês para receber a vacina do sarampo

TEM CRIANÇA E VAI VIAJAR?

A Sesa iniciou na semana passada uma ação de orientação para vacinação em todo o Estado e ampliou a vacinação para crianças de 6 a 11 meses que estivessem com viagem marcada para localidades que possuem casos confirmados, como é o caso do Estado de São Paulo, que já tem 900 casos notificados de sarampo e vários municípios considerados área de risco.

Essa dose será considerada extra e a criança deverá receber mais duas doses, uma aos 12 meses e outra com 15 meses de idade, conforme calendário nacional de vacinação da criança.

A lista dos municípios em situação de surto do sarampo pode ser consultada no site do Ministério da Saúde.

VILA VELHA

Em Vila Velha, o Programa Municipal de Imunizações (PMI) promove, neste mês, uma ação de atualização da caderneta de vacina em várias escolas e transportadoras do município. Ainda por meio da PMI, a Secretaria de Saúde de Vila Velha vai fazer uma ação de intensificação vacinal contra o Sarampo para moradores do município de 1 a 49 anos de idade e que estejam com a vacina Tríplice Viral atrasada.

A ação em Vila Velha vai acontecer no dia 17 de agosto, próximo sábado, de 8h às 17h,  nas unidades de saúde de Terra Vermelha e Santa Rita, e das 10h às 21h, nos shoppings Vila Velha (em frente ao restaurante Argento) e Boulevard (Clubinho em frente à piscina de bolinhas).

VIANA

A secretaria de saúde de Viana informou que não há um mutirão específico para o Sarampo, mas promove Campanhas de atualização geral da carteira de vacinação. A dose da vacina é disponibilizada nas Unidades de Saúde e na Central Vianense de Medicamentos e Vacinas, de segunda a sexta-feira, das 08 às 15 horas.

Nos próximos sábados, 17 e 24 de agosto, serão realizadas duas ações de vacinação nas Unidades de Saúde de Viana, das 08 às 16 horas. A dose de vacina contra a doença e atualização da caderneta de vacina também está sendo levada para as empresas do município e para os servidores públicos.

SERRA

Não há nenhum caso confirmado na Serra. Já foram aplicadas 19 mil doses da vacina contra a doença. O Ministério da Saúde considera a cobertura vacinal da população de 1 ano. Na município, mais de 93% estão imunizados.

Há uma campanha de vacinação em divulgação para atendimento aos sábados, a partir do dia 17, nas unidades de saúdes abertas por meio do projeto Sábado saúde. As salas de vacinação ficarão abertas de 8h às 16h30.

Além disso, as 29 unidades de saúde que possuem Equipes de Estratégia da Saúde (ESF) estão vacinando em escolas, com o objetivo de atualizar a Caderneta de Vacinação e ampliar a cobertura vacinal. Caso precise, a criança será vacinada contra sarampo também. A ação ocorrerá gradativamente até o fim do ano.

CARIACICA

Com a confirmação de um caso de sarampo em Cariacica, intensificou-se a divulgação para a vacina Tríplice Viral. As 29 unidades de saúde que possuem equipes de estratégia de Saúde da Família (ESF), estão vacinando também em escolas e, além das vacinas de rotina, caso necessário, as crianças serão vacinada contra sarampo.

Os dias de imunização agora acontece de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 15h30, nas seguintes unidades: Bela Aurora, Bela Vista, Operário, Cariacica Sede, Itaquari, Itapemirim, Novo Brasil, Nova Rosa da Penha II, Oriente, Rio Marinho, Santa Bárbara, Santa Fé, São Francisco, Jardim América, Porto de Santana, Jardim Botânico e Valparaíso.

Para ser vacinado é necessário estar com o documento de CPF ou cartão do SUS e cartão de vacina.

NA UFES

A Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) também receberá vacinação contra o Sarampo. A partir de desta quarta-feira (14), até sexta-feira (16), a Ufes estará disponibilizando a vacina Tríplice Viral. A ação acontecerá na Biblioteca Central, no Campus Goiabeiras.

Todos os membros da comunidade universitária poderão se vacinar. É necessário apresentar o cartão de vacina e um documento de identificação com foto. Nos dias 14 e 15 (quarta e quinta-feira), a vacinação ocorrerá de 9h às 17h, e no dia 16 (sexta-feira), de 9h às 12h.

VITÓRIA

O município de Vitória possui cinco casos de suspeita de sarampo, mas nenhum deles ainda foi confirmado.

A secretaria de saúde de Vitória informou que os moradores podem se imunizar indo diretamente a qualquer uma das 28 unidades de saúde com sala de imunização no município ou fazer agendamento online no site da prefeitura.

 

Vacina é única forma de prevenir o sarampo
Vacina é única forma de prevenir o sarampo
Foto: Marcelo Prest/ Arquivo A Gazeta

ALERTA SOBRE O SARAMPO

O sarampo é uma doença infecciosa, transmitida de pessoa para pessoa por tosse, espirros, fala ou respiração e que pode ser contraída por pessoas de qualquer idade. As micropartículas virais ficam suspensas no ar, por isso o alto poder de contágio da doença.

As complicações decorrentes do sarampo são mais graves em crianças menores de um ano de idade e desnutridas, podendo levar à morte.

PODER DE CONTAGIO

O sarampo é tão contagioso que uma pessoa infectada pode transmitir para 90% das pessoas próximas que não estejam imunes.

A transmissão pode ocorrer entre 4 dias antes e 4 dias após o aparecimento das manchas vermelhas pelo corpo.

OS SINTOMAS

- Febre alta

- Tosse

- Coriza

- Conjuntivite

- Exantema (manchas avermelhadas na pele que aparecem primeiro no rosto e atrás da orelha e depois se espalham pelo corpo)

- Outros sintomas como cefaleia, indisposição e diarreia também podem ocorrer

SEQUELAS

Quem já teve a doença não corre o risco de ser contaminado pelo vírus novamente. As complicações da doença são: otites, infecções respiratórias e doenças neurológicas, e em casos mais graves podem provocar a redução da capacidade mental, surdez, cegueira e retardo do crescimento.

 

 

 

 

Ver comentários