Notícia

Espírito Santo registra aumento nos casos de estupro

Dados fazem parte do 13º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado nesta terça-feira (10), pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública

Acusado de abuso sexual de menor é preso na Serra
Acusado de abuso sexual de menor é preso na Serra
Foto: Fernando Madeira

O Espírito Santo está entre os sete Estados do país com aumento dos casos de estupro. Em 2017 foram registrados 10,2 casos a cada 100 mil habitantes enquanto em 2018 foram 12,1 registros, o que corresponde a uma variação de 18,9% na taxa.

Em números absolutos, no Espírito Santo foram 408 casos em 2017, enquanto que em 2018 foram 480 casos. Os dados fazem parte do 13º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado nesta terça-feira (10), pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Embora os registros de estupro no Espírito Santo tenham crescido no último ano, a taxa do Estado, de 12 vítimas para cada 100 mil habitantes, é baixa em relação à média nacional, que é de 31 vítimas para cada 100 mil, e está entre as menores do país. No Mato Grosso do Sul, que tem a maior taxa, a relação é de 70 vítimas para cada 100 mil. 

Leia também

Em 2018, o Brasil atingiu o recorde de registros de estupros. Foram 66.041 vítimas. A taxa brasileira de estupros é de 31,7 por 100 mil habitantes. A maior parte das vítimas tem entre 10 a 13 anos.

Segundo o professor do mestrado em Segurança Pública da UVV, Pablo Lira, apesar de a variação ter crescido de um ano para o outro, a taxa de 2018 por 100 mil habitantes (12,1) está mais baixa que a média no Brasil (31,7). Entretanto, ele frisa que esse tipo de crime precisa ter índices cada vez menores.

Lira acrescentou ainda que podem haver mais casos que os registrados pela polícia. Isso porque muitas vítimas desse tipo de crime acabam não registrando a ocorrência devido à vulnerabilidade que se encontra.

“As mulheres são as principais vítimas. No Espírito Santo esse tipo de crime está associado à cultura machista. O Estado tem esse histórico da violência contra a mulher muito forte, o que faz com que ele permaneça em situação de destaque. Os dados mostram que ainda existe uma necessidade de mudança no comportamento da sociedade”, pontua.

O subsecretário de Estado de Integração Institucional da Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp), Guilherme Pacífico, não soube explicar o motivo do crescimento dos casos de estupro. “Eu ainda não me inteirei diretamente sobre os dados, eu não tenho essa informação ainda. Mas os dados são uma possibilidade de nos encaminhar para a formatação de políticas públicas”, disse.

 

 

Ver comentários