Notícia

Trabalhar desde cedo muda a vida de jovens

Eles aprendem uma profissão, estudam e ajudam as famílias

 Yohanna sempre gostou de desenhar e de matemática. Como aprendiz, ela identificou sua afinidade  profissional.
Yohanna sempre gostou de desenhar e de matemática. Como aprendiz, ela identificou sua afinidade profissional.
Foto: Vitor Jubini

O primeiro contato com o mercado de trabalho é um momento muito importante para adolescentes e jovens. É nele que, muitas vezes, eles descobrem a profissão que querem seguir. Além disso, há casos em que o dinheiro que recebem pelo aprendizado se torna fundamental para compor a renda da família.

A estudante Karen Ellen Soares Silva, de 16 anos, está no 2º ano do ensino médio e sonha em cursar Engenharia Mecânica. Ela faz parte do grupo de mais de 8,5 mil aprendizes admitidos em 2017 no Estado, segundo o Ministério do Trabalho.

Na parte da manhã, ela frequenta a escola regular, já à tarde é aprendiz na área administrativa de um banco. O salário que recebe é essencial para ajudar sua família.

“Eu moro com meus pais e minha irmã mais nova, que tem 11 anos. Minha mãe está desempregada, já meu pai conseguiu emprego há pouco tempo. Eu que pedi a eles para poder trabalhar e, com isso, ajudá-los”, conta.

A legislação brasileira prevê que de 5% a 15% do quadro de funcionários de empresas de médio e grande porte deve ser composto por jovens de 14 a 24 anos, na modalidade de aprendiz.

A chefe de serviços da Coordenação de Aprendizagem e Estágio do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), Kamila Araújo Bezerra, explica que esse jovem precisa estar matriculado na escola regular ou já ter concluído o ensino médio.

Possibilidades

No país, dos quase 386,8 mil aprendizes atuais, 25,26% estão no comércio, 24,74% nas indústrias de transformação e 11,78% nas áreas de saúde humana e serviços sociais. Enquanto isso, a administração pública, defesa e seguridade social (0,13%), os organismos internacionais e outras instituições extraterritoriais (0,02%) têm os menores índices de jovens.

Segundo Kamila Araújo Bezerra do MTE, é imprescindível que as empresas reconheçam a importância de ter aprendizes no seu quadro. “Esses jovens oxigenam o local de trabalho. Além de a contratação ser uma obrigação legal, ela também é social, pois é uma política de trabalho e educação, que contribui para o fortalecimento da economia e do país”, conta.

Assim como a Karen, outros jovens estão tendo a oportunidade de mudar de vida e de se descobrir por causa dessa primeira chance de emprego. Este é o caso do estudante Leonan Moreira da Rocha, de 17 anos, que cursa o 2º ano do ensino médio.

“Eu e minha mãe morávamos em Minas Gerais e minha irmã, em Vila Velha. No ano passado, ela viu um site com vagas para aprendiz e me inscreveu. Eu passei e mudamos para o Espírito Santo”, lembra.

Há sete meses ele atua na área de tecnologia da informação de uma empresa de telemarketing, em Vila Velha. “A situação melhorou muito com o meu salário. Além disso, é bom misturar teoria e prática. Com isso, criamos responsabilidade e nos preparamos para o mercado de trabalho. Ser bom na escola e na vida profissional também é muito importante”, destaca.

Descoberta

Os projetos de aprendizado também são fonte de descoberta profissional. A estudante Yohanna Luiza Borges Martins, 17 anos, está no primeiro período da faculdade de Engenharia Mecânica. Na experiência de trabalho que está tendo em uma indústria de minério de ferro viu novas possibilidades. “Descobri que gosto de mecânica sendo aprendiz e quero continuar estudando”, revela.

Para dar conta da sua rotina diária, ela precisa ser organizada. De manhã vai à faculdade, em Vitória, à tarde é aprendiz, na Serra, e à noite tem aulas do curso de técnico em administração, também na Serra.

O PROGRAMA

Quem pode participar

Jovens de baixa renda de 14 a 24 anos incompletos que estejam cursando o ensino fundamental ou o ensino médio.

Jornada de trabalho

É de até 6 horas diárias, admitindo-se a de 8 horas para quem terminou o ensino fundamental. As horas a mais são para o ensino teórico.

Como é o programa

O 1º semestre é para aulas teóricas. Nos seguintes, há aulas teóricas e trabalho prático nas empresas.

Contratação

O contrato especial é anotado na Carteira de Trabalho e dura 2 anos.

Benefícios

O aprendiz tem direito a salário mínimo/hora, 2% de FGTS, 13º salário, férias, recolhimento de INSS e seguro-desemprego.

MAIS DE 40% DOS APRENDIZES SÃO CONTRATADOS

Mais de 40% dos aprendizes são efetivados com carteira assinada no Brasil. O dado do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) mostra a importância do processo para criar oportunidades no mercado de trabalho para os jovens.

De acordo com o MTE, dos 261 mil aprendizes desligados em 2016, 107,3 mil foram admitidos em até um ano. Segundo especialistas, o fato dos jovens aprenderem a necessidade profissional das empresas e elas já conhecerem a qualidade do trabalho ajuda no regresso.

Gabriel Chaves, de 30 anos, foi aprendiz de um supermercado aos 15 anos. Quando o contrato acabou, a empresa que coordenava o programa o chamou para uma vaga em um banco. “Lá obtive contatos que me orientaram a buscar cursos e concursos. Fiz faculdade, me formei e passei em um concurso para o mesmo banco onde era aprendiz.”

Segundo a analista de Educação Sênior do Senai, Ellen Scopel Cometti, há três tipos de programa de aprendizado: integral, onde o aluno aprende a teoria e a prática dentro da unidade de ensino; dual, em que a teoria acontece dentro da unidade e a prática em uma empresa; e a distância, que começou a ser implantado em fevereiro deste ano, onde tudo é feito na empresa.

Caminho

De acordo com a gerente do programa de aprendizagem do CIEE/ES, Roberta Faé, o índice de contratação em algumas empresas chega a 70%. “É preciso ter iniciativa, vontade de aprender, responsabilidade, comprometimento, proatividade, pontualidade e não deixar de priorizar os estudos para poder ter a chance de permanecer na empresa.”

Mesmo com esses índices, um dos desafios que precisam ser enfrentados pelo Ministério do Trabalho é o cumprimento da legislação pelas empresas. No Estado, em 2017, deveriam ter sido geradas 16,9 mil vagas para cumprir a cota mínima de 5% de aprendizes, porém a contratação foi de apenas 50,38% desse total, ou seja, 8,5 mil jovens.

Segundo a chefe de serviços da Coordenação de Aprendizagem e Estágio do MTE, Kamila Araújo Bezerra, o número de auditores fiscais está bastante reduzido e, com isso, não conseguem chegar a todas as empresas para checar se a cota está sendo cumprida. Também há empresas que alegam que a atividade-fim delas não permite ter aprendizes.

ANÁLISES

Qualificar bons profissionais

Ser um aprendiz é uma excelente oportunidade de colocação no mercado de trabalho e um passo importantíssimo para a carreira profissional de qualquer jovem. Para ter sucesso e aumentar as chances de contratação, o aprendiz deve demonstrar interesse, comprometimento, proatividade e, claro, foco nos estudos. Outros aspectos apreciados pelas empresas são que busque seu desenvolvimento profissional e educacional de maneira contínua, possibilitando desenvolver visão analítica, assertividade e equilíbrio emocional. Já para a empresa, a inserção do jovem no âmbito do trabalho é valiosa porque lhe possibilita capacitar e qualificar bons profissionais para, no futuro, atuarem em suas áreas de negócios.

Rodrigo Gama, gerente geral de gestão de pessoas da ArcelorMittal Tubarão

Pontapé para muitos jovens

Os programas de aprendizagem são um pontapé para muitos jovens ingressarem no mercado de trabalho. Essa experiência amplia a visão do mercado desses adolescentes, proporciona a chance de desenvolverem competências importantes que irão contribuir para que eles possam colocá-las em prática em suas profissões no futuro. A inserção cedo no mercado ajuda no amadurecimento e faz com que aprenda sobre comprometimento e responsabilidade, além de desenvolver autonomia. Os aprendizes que têm um bom desempenho durante o programa possuem a chance de ser efetivados. É importante ressaltar a esses jovens que aproveitem a oportunidade de ingressar no mercado, o conhecimento adquirido será muito útil para a vida profissional.

Jeany Nascimento, psicóloga e coordenadora de RH da Psico Store

VEJA ONDE SE INSCREVER

Empresas

CESAM-ES - Salesiano

Cadastro de reserva: estão abertas durante todo o ano pelo site cesames.salesianos.br. As vagas são destinadas para atender adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade.

Municípios atendidos: Grande Vitória, Cachoeiro de Itapemirim, São Mateus, Linhares e Colatina.

CIEE

Cadastro de reserva: Inscrição vai até dia 30 de maio, pelo site www.ciee-es.org.br.

Benefícios: férias, 13º, salário mínimo hora, auxílio transporte, FGTS de 2% e outros benefícios quando houver.

Requisitos: ter entre 14 e 16 anos e 11 meses, residir nos municípios da Grande Vitória e ser estudantes de escola pública ou ser bolsista integral em escola particular, além de possuir renda per capita de até meio salário mínimo.

Senai

Processo seletivo: são disponibilizados no link http://senai-es.org.br/cursos/editais-processo-seletivo-para-alunos/

Benefícios: remuneração com base no cálculo salário mínimo/hora ou no acordo coletivo da categoria, férias, FGTS, 13º salário e vale-transporte.

Requisitos: é preciso ter entre 14 e 24 anos e estar cursando a partir do 9º ano do ensino fundamental, EJA ou já ter concluído o ensino médio. As regras não se aplicam às pessoas com deficiência.

Multivix

Inscrições: para cadastro de reserva é preciso enviar currículo com o assunto APRENDIZ para o e-mail [email protected]

Benefícios: remuneração, vale transporte, seguro de vida e vale-alimentação.

Requisitos: idade de 14 anos a 16 anos e estar cursando o ensino fundamental ou médio no turno vespertino.

Petrobras

Inscrições: está prevista uma seleção adicional para o município de Anchieta, com três vagas, em data a ser definida, com inscrições pelo site cesames.salesianos.br.

Requisitos: estar cursando o ensino médio ou ter concluído em escola pública ou com bolsa integral em escola particular.

Bancos

Banco do Brasil

Inscrições: site cesames.salesianos.br.

Benefícios: um salário mínimo por mês, vale-transporte e vale alimentação, 13º salário e férias coincidentes com o recesso escolar e seguro-saúde.

Banestes

Inscrições: pelo site cesames.salesianos.br.

Benefícios: bolsa de meio salário mínimo (4 horas diárias trabalhadas), tíquete-alimentação e vale-transporte.

Bradesco

Inscrições: durante todo o ano pelo link https://banco.bradesco/html/classic/sobre/trabalhe-conosco/cadastro-curriculo.shtm.

Benefícios: Vale-refeição ou alimentação, auxílio transporte e FGTS.

Requisitos: estar cursando ou ter concluído o ensino médio, ter entre 16 e 23 anos.

Caixa

Inscrições: pelo site cesames.salesianos.br.

Benefícios: um salário mínimo nacional por mês integral de aprendizagem, auxílio-alimentação, vale transporte e férias.

Ver comentários