Notícia

Compradores fazem fila de espera para pedra de até R$ 6 mil o m²

Vitória Stone Fair deste ano apresenta pedras raras e com vocação para serem obras de arte

Visitantes da Ásia admiram a pedra mais cara da Vitória Stone Fair, a Botanic Wave, uma peça de quartzito
Visitantes da Ásia admiram a pedra mais cara da Vitória Stone Fair, a Botanic Wave, uma peça de quartzito
Foto: Fernando Madeira

Algumas rochas dão a impressão de terem sindo pintadas à mão, mas não foram. Esse é o caso da Botanic Wave, uma pedra rara de cores e texturas próprias. O quartzito é tão único que tem fila de espera para ter a chance de adquiri-la. Cada metro quadrado dessa obra de arte vale cerca de R$ 6 mil.

A preciosidade está exposta na 45ª Feira do Mármore e Granito, que acontece no Carapina Centro de Eventos, na Serra, até amanhã. A pedra é de uma empresa de Cachoeiro de Itapemirim e possui o metro quadrado mais caro da Vitória Stone Fair deste ano.

Leia também

“A Botanic Wave foi extraída de uma jazida da Bahia e só conseguimos uma pedra desse nível a cada 100 blocos de quartzito. Essa peça é composta por quatro chapas de 2,5 metros por 1,65 metros, aproximadamente”, explicou Aziz Arras, gerente de exportações da Pettrus.

Também na lista das mais valiosas está a Sodalita Blue. A pedra boliviana que mistura azul e branco é de uma empresa de Castelo chamada Bramagram. O metro quadrado da chapa de três centímetros custa uma média de R$ 5,1 mil.

Em outra empresa, o metro quadrado da chapa de três centímetros da pedra Azul Macaubas custa cerca de R$ 2 mil. A pedra azulada é da Thor Granitos.

GLAMOUR

Para quem gosta de glamour e cristais, uma das mais deslumbrantes pedras é a Crystally. O cristal translúcido branco é extraído no Nordeste do país pela Fortuna Granitos Brasil e vale cerca de R$ 1,2 mil o metro quadrado.

“A empresa é de Barra de São Francisco e também comercializa a Midnight Crystal, uma pedra com branca rajada de preto que é um dos nossos destaques. Ela sai a quase R$ 800 o metro quadrado”, comentou a vendedora Grasiele Marques.

Outra pedra que é destaque pela beleza e preço é a Alexandrita. O metro quadrado do quartzito sai a US$ 420. O quartzito da PBA Stones tem muitos cristais e, por isso, é muito usado em bancadas. A peça tem uma cor verde piscina com tons de amarelo e rosea.

De acordo com Tales Machado, presidente do Sindicato da Indústria de Rochas Ornamentais (Sindirochas), o país tem uma diversidade geológica muito grande, o que permite termos muitas variações de pedras.

NOVOS OLHARES

Além de palco para realizar negócios e expor peças, a Vitória Stone Fair atrai curiosos e muitos arquitetos. As recém-formadas em Arquitetura Maressa Barbosa, 22 anos, e Bruna Gomes, 23 anos, visitaram a feira pela primeira vez ontem em busca de novidades.

“Aqui conseguimos ver muita inovação e tendências. Além disso, podemos conversar com as empresas. Com isso, conseguimos ter contato direto com o próprio material comercializado o que faz com que possamos passar mais informações para os nossos clientes”, contou Maresa.

Já Bruna explicou que as pedras expostas são de alta qualidade e com cores e texturas únicas. “Ainda tem muita coisa para conhecer na feira, a ideia é voltar amanhã (hoje) para continuar andando pela Vitória Stone Fair”, disse.

Entre as pedras que as arquitetas mais gostaram está a Blue Velvet. O quartzito da empresa de Cachoeiro de Itapemirim Mag Ban é uma peça com nuances de verde, marrom e preto.

DESTAQUES

PRECIOSIDADES

Exóticas

A pedra mais cara da feira é produzida pela Pettrus, a Botanic Wave, que vale cerca de R$ 6 mil o metro quadrado. Além dela, outro destaque é um quartzito branco que passou por um processo de tingimento azul, dando origem à Crystal Quartzo Blue.

Pedra natural

A empresa capixaba Guidoni trouxe uma coleção com 12 variações quartzitos para a Stone Fair. O produto mais caro da empresa é o Black Taurus, um granito exótico de Minas Gerais que custa em média R$ 850 o metro quadrado para o consumidor final. 

Quartzito branco

A Exclusive White da Qualitá é um quartzito branco extraído do Norte da Bahia e custa cerca de R$ 830 o metro quadrado.

Boliviana

Uma das pedras mais caras da feira é a Sodalita Blue. A pedra boliviana que mistura azul e branco é de uma empresa de Castelo chamada Bramagram. O metro quadrado da chapa de três centímetros custa uma média de R$ 5,1 mil.

Ver comentários