Notícia

INSS vai fazer pente-fino em 4,6 mil benefícios no Espírito Santo

Segurados que recebem auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez deverão agendar perícia médica até 13 de agosto

Segurados aguardam atendimento em agência do INSS no Estado: órgão fará nova rodada de análises
Segurados aguardam atendimento em agência do INSS no Estado: órgão fará nova rodada de análises
Foto: Fernando Madeira

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) publicou nesta sexta-feira (20) a convocação para perícia médica de 4.599 capixabas que recebem auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez. Os exames fazem parte do pente-fino nos benefícios por incapacidade pagos pelo governo federal. Em todo Brasil, foram convocados 178,9 mil segurados.

De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), pasta a qual o INSS é vinculado, os convocados para a reavaliação médica, obrigatória por lei, devem agendar o exame até 13 de agosto pela central de atendimento da Previdência Social, no telefone 135.

Segundo o ministro Alberto Beltrame, os beneficiários listados são aqueles que não foram localizados pelo INSS por meio de correspondência, por causa de uma mudança de endereço ou devido ao cadastro estar incompleto. Também estão na lista aqueles segurados que não agendaram a perícia no prazo determinado.

No caso do auxílio-doença, é convocado quem recebe o benefício e há mais de dois anos não passa pela revisão médica obrigatória do INSS.

De acordo com as regras do pente-fino, o INSS envia carta para cada pessoa que precisa passar pela perícia. Depois de receber a carta, o beneficiário tem até cinco dias úteis para agendar a perícia pelo 135.

O PENTE-FINO

O governo federal iniciou em agosto de 2016 o pente-fino nos benefícios pagos pelo INSS ao cidadão incapacitado de trabalhar. O exame atesta se o segurando continua sem condições de retornar ao trabalho.

Leia também

Desde então, foram realizadas 8.810 perícias no Espírito Santo, sendo 3.198 de auxílios-doença e 5.612 de aposentados por invalidez. Entre os benefícios analisados, foram cancelados 4.009, quase a metade, sendo cessados 2.519 auxílios-doença e 1.490 aposentadorias.

Apenas com as revisões já feitas no Estado, o governo federal estima uma economia de R$ 101,2 milhões. A nível nacional, o cálculo de recursos poupados gira em torno de R$ 9,6 bilhões.

Novas convocações ainda deverão ser feitas neste ano, já que, ao todo, o MDS pretende ter feito 4.776 revisões de auxílios-doença e 19.419 de aposentadorias por invalidez até o fim do ano.

Ver comentários