Notícia

Táticas para economizar: empresas reduzem café e dão bicicleta

De olho na eficiência, empresários cortam "gastos ocultos"

Flávia e Sane vão para o trabalho com as bicicletas que ganharam da empresa
Flávia e Sane vão para o trabalho com as bicicletas que ganharam da empresa
Foto: Marcelo Prest

Diminuir o uso de copos descartáveis, cortar o desperdício de cafezinho, dar bicicleta aos funcionários e até trocar o tipo de papel higiênico: vale tudo nas empresas para economizar. Visando a eficiência, elas miram em “gastos ocultos”, aqueles que passam despercebidos, mas consomem quantidades significativas de recursos.

Uma rede de supermercados percebeu que funcionários iam trabalhar de bicicleta e continuavam recebendo vale-transporte. Já outros gostariam de ir pedalando, mas não podiam comprar uma bike. A solução encontrada foi ceder o veículo aos empregados.

“Nós damos uma boa bicicleta que é renovada periodicamente. Com um ano e seis meses de uso, ela é doada definitivamente e, com 24 meses, é trocada por uma nova. O colaborador que decide participar do programa renuncia ao vale-transporte”, conta Fabiana Vieira, gerente de gente e gestão da Rede Extrabom, acrescentando que o projeto é muito viável financeiramente e beneficia muitos funcionários, entre eles a assistente de compras Flávia Mendes e a assistente de contas a pagar Sane Oliveira.

E da economia conquistada com os cortes podem surgir também novos investimentos nas empresas. Segundo a gerente, ideias como essa geraram caixa para a implementação de uma sala de descanso para funcionários. “Em cada loja tem uma sala de descanso, onde o funcionário pode relaxar na hora do almoço, o que proporciona uma qualidade de vida maior”, aponta Fabiana.

Uma escola de Marketing de Vitória detectou excesso de café e uso de papel higiênico. Assim, o papel que era disponibilizado em folhas separadas, mais difícil de controlar, foi substituído pelo tradicional rolo. Já para reduzir a quantidade de café, a saída foi mudar de fornecedor. “Antes, cada café custava R$ 1,20. Agora sai por 20 centavos”, conta Luciana Canavese, diretora de plataforma da Wis Comunicação.

Já a filial capixaba de uma empresa que desenvolve sistemas de gestão viu que, além da economia, poderia proporcionar mais bem-estar aos funcionários, realizando videoconferências e evitando deslocamentos. Assim, poupou tempo e dinheiro. “Tivemos uma retração muito grande na nossa base de clientes, que nos motivou a reduzir custos. Agora já estamos em pleno vapor de novo”, comenta Eduardo Couto, diretor-executivo da TOTVS Espírito Santo.

Em outra empresa, o cartucho da impressora foi substituído por um tanque de tinta, diminuindo o custo em 85%. O carro corporativo também passou pela conversão para Gás Natural Veicular (GNV), que gasta menos. Além disso, foram adotadas outras medidas, como unir diferentes setores em uma sala para economizar com ar-condicionado e fazer viagens com aplicativo de transporte. “Usamos essa estratégia em vez de comprar mais carros”, conta o diretor de marketing e comercial da Guide Engenharia, Fabrício Depizzol.

O MEIO AMBIENTE AGRADECE

Reduzir gastos com ar-condicionado e a implantação de um sistema de energia solar já resultaram em queda na conta de luz no primeiro mês de mudanças em uma loja de móveis.

De acordo com o sócio-proprietário da Móveis Conquista, Joanir Smarçaro, a intenção agora é instalar painéis solares na segunda loja. “Esperamos pagar o investimento feito em torno de seis anos”, diz.

Também no consumo elétrico, a instituição de ensino Faesa tem conseguido economizar R$ 600 mil por semestre com lâmpadas de led e migração para o mercado livre de energia, em que as condições de contratação são negociadas livremente entre usuário e gerador.

Na rede de academias Razões do Corpo, o foco principal também foi a redução de energia, com a utilização de lâmpadas de led e economia de papel por meio da informatização do sistema – as fichas dos alunos ficam disponíveis em aplicativo.

Segundo o proprietário da empresa, Marcus Frizzera, a redução de custos também pode evitar o desemprego. Ele conta que, com a crise econômica e a diminuição da clientela, teve que cortar gastos, mas fez de tudo para não impactar a equipe. “A gente tem conseguido manter um quadro de profissional qualificado. Temos estagiários, mas com o intuito de formar profissionais para o futuro”, afirma.

Em uma construtora, garrafas PET foram colocadas dentro das caixas de descarga para reduzir o fluxo de água gasto. “Ao ser inserida uma garrafa cheia de 2 litros, ela ocupa o espaço que antes seria de 2 litros d’água. Essa medida gerou uma redução de 15% na conta”, explica o gerente administrativo e de RH da Morar Construtora, Willian Balla.

CONSULTORIA

Para identificar áreas onde é possível eliminar gastos, empresas têm recorrido a consultorias. Jaciara Pinheiro, diretora-técnica da Rhopen Consultoria, conta que a crise fomentou a procura pelo serviço. “Despesa é igual unha, você corta e ela cresce. Tem que se ter como hábito cortar”, alerta.

Outra alternativa encontrada por empresas para economizar é terceirizar atividades secundárias. É o caso da Millenium Comercial, que atua no ramo do comércio, mas delegou os seus setores de recursos humanos e tecnologia da informação a outro prestador de serviço.

“A inovação e a chegada de melhores práticas nos motivaram a adotar essa medida”, diz a diretora-administrativa da Millenium Comercial, Aline Freire.

AS ESTRATÉGIAS

SUSTENTÁVEL

Copo x caneca

Funcionários têm sido incentivados a levar os próprios copos de casa e canecas também são cedidas pelas empresas para gerar economia. Além de reduzir gastos, a medida é sustentável.

Painel solar

A instalação de placas de energia solar é alternativa para economizar. Além de ser mais barata a longo prazo, a energia solar é mais limpa do que outras fontes e é renovável.

Ar-condicionado

Agrupar setores em uma única sala para que todos fiquem com só um ar-condicionado e desligar o equipamento no horário de almoço também são medidas adotadas por empresas.

Trajeto de bicicleta

Ceder bicicletas para funcionários irem trabalhar em troca do pagamento de vale-transporte gera economia e ainda estimula um estilo de vida mais saudável.

Garrafa PET

Inserir uma garrafa PET cheia na caixa de descarga, ocupando parte do espaço, reduz o fluxo da água consumida.

SUBSTITUIÇÃO

Carro a gás

Fazer a conversão de gasolina para o Gás Natural Veicular (GNV) em veículos corporativos também promove economia. Também apresenta uma redução de poluentes de 70%, em comparação com a gasolina.

Impressão

Trocar o cartucho por tanque de tinta pode garantir economia de até 85%. Além dessa estratégia, empresas estão fazendo campanhas internas para difundir a troca de documentos virtualmente, sem necessidade de impressão.

Papel higiênico

O produto em folhas separadas, do tipo interfolhado, mais moderno, está sendo substituído pelo velho rolo de papel, de manuseio mais fácil e controlável.

Máquina de café

Para manter o cafezinho gastando menos, há empresas que trocam o fornecedor do café e da máquina que finaliza o produto. Em uma das companhias, o preço de cada cafezinho reduziu de R$ 1,20 para R$ 0,20.

Videoconferência

Reuniões por videoconferência para reduzir viagens tem sido a saída encontrada por empresas que querem enxugar gastos.

Fonte: Empresas consultadas

Ver comentários