Notícia

Duas novas fábricas no ES vão abrir mais de 300 empregos

Indústrias de café instantâneo e de peças de reposição e manufatura anunciaram R$ 430 milhões de investimentos em Linhares

Unidade fabril da Cacique em Londrina, no Paraná
Unidade fabril da Cacique em Londrina, no Paraná
Foto: Divulgação/Cacique

A cidade de Linhares entrou na rota dos investimentos milionários das grandes empresas. Nesta quarta-feira (12), duas indústrias brasileiras de atuação internacional anunciam um total de R$ 430 milhões em investimentos para implantar duas fábricas na cidade do Norte do Espírito Santo. A previsão é que sejam gerados cerca de 300 empregos diretos na primeira fase de operação das duas empresas.

O anúncio foi feito em reunião entre executivos das empresas Café Cacique, de Londrina (PR), e da Randon Implementos Rodoviários, de Caxias do Sul (RS), com representantes do governo do Estado. A expectativa é que esses investimentos já saiam do papel em 2019.

Conforme a colunista Beatriz Seixas já havia antecipado em seu blog no Gazeta Online no fim de outubro, a Randon, que é fabricante de reboques, vai construir em Linhares uma unidade de produção de peças de reposição e manufatura. O investimento da marca será da ordem de R$ 200 milhões, com previsão de concluir em fábrica em aproximadamente quatro meses. Ao entrar em operação, a empresa deve gerar cerca de 100 empregos na cidade.

De acordo com o diretor-presidente da empresa, David Abramo Randon, o grupo está otimista em atuar no Espírito Santo. "Vemos aqui um esforço para atrair o investidor, o empresário, isso nos motiva", afirmou.

Em um primeiro momento a companhia vai implantar em Linhares um centro de distribuição de peças de reposição, com investimento de cerca de R$ 7,5 milhões.

Leia também

Segundo o secretário estadual de Desenvolvimento, José Eduardo Azevedo, o investimento da Randon confirma uma vocação que o Espírito Santo vem desenvolvendo no setor automotivo. "Já temos três empresas do setor aqui. A Volare/Marcopolo e a Agrale, em São Mateus, e já anunciamos recentemente a D2D Motors, que montará uma fábrica de veículos esportivos em Linhares em parceria com a Peugeot.  Agora com a Randon, isso vai diversificar a nossa produção, consolida esse segmento no Estado, e dá oportunidades conectando a nossa cadeia de fornecedores de metalmecânica, de aço e automotiva", disse.

José Eduardo ressaltou que os investimentos da Randon e da Cacique já estavam sendo trabalhados pelo governo há cerca de dois anos. "A Randon é uma multinacional brasileira que vai fortalecer a nossa cadeia automotiva e a Cacique dar força ao nosso agronegócio. Ambos vão gerar desenvolvimento, emprego e renda para o Estado".

FÁBRICA DE CAFÉ SOLÚVEL

Já a Café Cacique, anunciou que irá estabelecer em Linhares uma fábrica completa de café instantâneo. O investimento previsto inicialmente é de US$ 60 milhões (aproximadamente R$ 230 milhões). A companhia, que exporta 34% do café conilon do país, espera com a vinda para o Estado ampliar de forma substancial suas exportações. Ao entrar na primeira fase de operação, a fábrica deve abrir cerca de 200 postos de trabalho diretos, além outros 300 empregos que devem ser criados com a construção.

Diretor Industrial da Cacique, Júlio César Grassano disse que o Espírito Santo foi escolhido pelo grande volume de café conilon produzido. "Exportamos, em média, 1,2 milhão de sacas de conilon. Esse potencial do Estado, aliado ao ambiente seguro criado aqui, certamente nos atraiu", revelou.

Segundo o governador Paulo Hartung, contribuíram para esses novos investimentos no Espírito Santo o fato de que o Estado está organizado e avançando em políticas públicas estruturantes, além de ter um ambiente de negócios propício aos empreendimentos e investimentos.

“Há pouco tempo estive em Caxias do Sul visitando a Randon e apresentando nosso Espírito Santo como alternativa para receber investimentos e, há poucos dias, estive em Londrina visitando a Cacique e, de novo, apresentando o nosso Estado. Somados, (os dois investimentos) passam de R$ 400 milhões em terras capixabas. Só na planta de solúvel da Cacique vamos ter mais de 300 empregos durante a construção e, quando a empresa rodar, serão mais de 200 empregos diretos. É uma construção em quatro fases e, somente na primeira, serão consumidas (na produção) anualmente quase 500 mil sacas de café conilon em que o Espírito Santo é o segundo maior produtor do planeta”, destacou.

À colunista Beatriz Seixas, Hartung acrescentou que a Cacique está presente em 62 países, o que coloca o Espírito Santo em uma posição de destaque no mundo. “Essa relação vai criar um baita fluxo de relações internacionais para gente. Além disso, as operações em Linhares vão agregar valor ao nosso produto, o conilon, que nos coloca como o primeiro do Brasil e o segundo do mundo em produção.”

O governador também citou que um ponto avaliado para a escolha do local foi a disponibilidade e a qualidade de água. “Como para ter a fábrica de solúvel precisa ter água subterrânea e, no local do terreno avaliado, ela estava disponível e com a qualidade necessária, os empreendedores bateram o martelo sobre o investimento.”

Já em relação à Randon, Hartung ressaltou que a chegada da empresa ao Estado irá atrair outros fornecedores do setor. “Hoje mesmo, o executivo que é responsável pela distribuição das peças da Randon anunciou, durante o nosso encontro, que vai trazer a operação de distribuição para Linhares e que pretende estimular outros colegas a fazerem o mesmo. Isso vai criar uma rede de distribuição a partir do Espírito Santo”, ponderou o chefe do Executivo que disse estar otimista em relação outros anúncios de investimentos que ainda podem acontecer nessa reta final de 2019.

Ver comentários