Notícia

Reforma da Previdência divide opiniões no ES

Dúvidas mais recorrentes são a respeito das regras de transição e tempo de contribuição

Trabalhadores e aposentados opinam sobre a reforma da Previdência Social
Trabalhadores e aposentados opinam sobre a reforma da Previdência Social
Foto: Arquivo

A proposta de reforma da Previdência Social apresentada nesta quarta-feira (20) tem dividido opiniões entre especialistas e políticos. No dia seguinte à entrega do texto da reforma no Congresso, em Brasília, trabalhadores e aposentados no Estado ainda parecem ter dúvidas sobre a proposta.

Entre as principais dúvidas, estão o tempo de contribuição e as regras de transição presentes na reforma. Mesmo assim, há quem acredite que a proposta é necessária para o ajuste da economia.

Como fica a sua aposentadoria se a reforma for aprovada como está

Para o autônomo Renato Alves, 47 anos, no entanto, a reforma vai aumentar a desigualdade social. “Essa reforma é um absurdo e vem para tirar do pequeno, da Dona Maria e do Seu José. Quem é responsável pelos gastos e pela corrupção no país não será responsabilizado. Eu sou contra porque só vai acentuar a desigualdade social”, opinou.

Leia também

Já a aposentada Marinete Mululo, 66 anos, tem dúvidas sobre o tempo de contribuição e os valores do benefício e diz ser contra a reforma. “Eu fiquei com dúvidas. Achei a reforma um absurdo, não deveriam mexer nisso”, disse a aposentada.

A trabalhadora Tânia Mara Augusto Ferreira, 59 anos, é outra contribuinte com dúvidas. Ela conta que está perto de se aposentar, mas não sabe se vai ser afetada pela reforma. “Vou no INSS para fazer uma operação agendada, mas vou aproveitar para tirar minhas dúvidas. Quero saber se vou continuar amparada pela lei atual ou se serei afetada pela reforma”, comentou.

Apesar de opiniões contrárias, há quem se posicione a favor da proposta. A aposentada Aday Borges Nascimento, 78 anos, acredita que a reforma pode ajudar futuramente. “Eu acho a proposta boa. Porque no futuro corremos o risco de ficarmos sem dinheiro para pagar as aposentadorias. Até mesmo se não fosse aposentada não veria problema nenhum na reforma”, ressaltou Aday.

Ver comentários