Notícia

Aeroportos de Vitória e Macaé são arrematados por R$ 437 milhões

Vencedora é a suíça Zurich Airport Latin America LTDA

Empresa suíça Zurich Airport Latin America LTDA arrematou o bloco que contempla os aeroportos de Vitória (foto) e Macaé
Empresa suíça Zurich Airport Latin America LTDA arrematou o bloco que contempla os aeroportos de Vitória (foto) e Macaé
Foto: Fernando Madeira

Os aeroportos de Vitória e Macaé foram arrematados, na manhã de hoje, pela empresa suíça Zurich Airport Latin America LTDA. A empresa vai ter que pagar, à vista, R$ 437 milhões para administrar os dois terminais aeroportuários pelos próximos 30 anos. O valor é 830% superior ao que era exigido como lance mínimo – R$ 47 milhões. O leilão foi realizado na Bolsa de Valores de São Paulo.

Além dos aeroportos do bloco Sudeste foram leiloadas as concessões para outros 10 aeroportos divididos nos blocos Nordeste e Centro-Oeste.

No bloco Sudeste, quatro empresas fizeram ofertas. Além da vencedora, também participaram a ADP do Brasil Participações SA, que ofereceu R$ 304 milhões e ficou em segundo lugar na disputa, a CPC – Companhia de Participações em Concessões – que ofereceu R$ 167 milhões, e a Fraport Brasil Holding, que ofereceu R$ 125 milhões pela administração dos dois aeroportos.

Terminados os primeiros lances, foi iniciado o leilão viva voz, do qual participaram apenas as três primeiras colocadas. No entanto, nenhum outro lance foi dado pelo bloco Sudeste. Com isso, a ficou mantida a liderança da Zurich Airport Latin America LTDA.

A estimativa do secretário Nacional de Aviação Civil do Ministério da Infraestrutura, Ronei Glanzmann, é que o contrato deva ser assinado em dois meses, e que a empresa assuma o aeroporto ainda no segundo semestre – por volta do mês de setembro.

Além do valor que deverá ser pago à vista, a empresa também deverá pagar 8,8% da receita bruta dos aeroportos como outorga variável. “A outorga variável é de 8,8% da receita bruta do bloco e é válida durante o período de concessão. Nos primeiros cinco anos não há pagamento desse percentual, porque é o período de obras nos aeroportos, depois vem uma curva crescente que chega a 8,8% no décimo ano”, informou Glanzmann em entrevista à Rádio CBN Vitória na semana passada. O valor variável deve ser de aproximadamente R$ 388 milhões pagos ao longo dos 30 anos de concessão.

Ver comentários