Notícia

Serra é segunda cidade mais cara do país para se almoçar fora de casa

O gasto de um trabalhador na cidade para comer é, em média, de R$ 43,21, ficando atrás apenas de Florianópolis, onde o custo de uma refeição é de R$ 43,35

Self-service
Self-service
Foto: Gabriel Lordêllo

Uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira das Empresas de Benefícios ao Trabalhador (ABBT) apontou que o município da Serra é o segundo mais caro do Brasil para se almoçar fora de casa. O gasto de um trabalhador na cidade para comer é, em média, de R$ 43,21, ficando atrás apenas de Florianópolis, onde o custo de uma refeição é de R$ 43,35, em média. Vitória e Vila Velha também aparecem na parte de cima do ranking. Na capital capixaba, uma refeição custa em média R$ 42,54 - a quarta mais cara do país entre as cidades pesquisadas. Enquanto no município canela-verde, almoçar em um restaurante custa em média R$ 39,85, a sexta cidade da lista.

O levantamento, realizado para observar quanto um trabalhador gasta para almoçar fora de casa, foi feito em 51 cidades brasileiras, onde se coletou quase 6,2 mil preços de pratos no período de dezembro de 2018 a fevereiro de 2019. Para chegar a média, foram apurados preços de quatro tipos de serviço: à quilo, prato feito, executivo e à la carte. Foi considerado o preço da refeição: prato principal, bebida não alcoólica, sobremesa e café, na hora do almoço, em estabelecimentos que aceitam voucher refeição como forma de pagamento.

ECONOMIA

Os municípios capixabas estão acima da média nacional, de R$ 34,84. Segundo a diretora-executiva da ABBT, Jessica Srour, a atividade econômica da região tem influência no preço cobrado pela alimentação ao trabalhador.

“Estritamente por conta da atividade econômica e o nível de emprego local, a gente percebe que existe um patamar de preço um pouco mais elevado em termos de estabelecimento comercial ao trabalhador. No caso de algumas regiões do Espírito Santo, justamente por terem portos e atividades econômicas mais intensas, a média puxa um pouco mais pra cima”, explicou em entrevista para a Rádio CBN Vitória.

Ouça na íntegra:

No município da Serra, a variação do preço médio de 2018 para 2019 ficou em 49,2%, muito acima da inflação para o período, de 3,75%. Vitória também registrou um aumento acima do índice (16,7%). Já Vila Velha teve um reajuste abaixo da inflação e próximo a média nacional, de 2,1%. A diretora-executiva explica que os próprios restaurantes optam por não ajustarem o preço da alimentação para manter a demanda.

“A gente percebe isso em algumas cidades onde os estabelecimentos preferiram segurar o preço apesar o custo do alimento ter aumentado até mais do que a inflação. Depende muito da dinâmica local”, explicou.

ALTA NOS PREÇOS

Segundo o economista e professor Paulo Cezar Ribeiro Silva, sucessivas altas registradas no preço de itens da cesta básica nos supermercados também podem ser um dos motivos para os municípios da Grande Vitória estarem em alta na pesquisa.

De acordo com o Relatório Mensal da Cesta Básica da Classe Média Capixaba, produzida pela Empresa Júnior de Administração da Faculdade Doctum de Vitória (EJFV) e coordenada pelo professor Paulo Cezar, de setembro de 2018 até abril de 2019, o preço médio da cesta, que contém 30 itens, vem apresentando uma alta acumulada de 18,8%.

“O custo do alimento nos supermercados tem aumentado. Principalmente os alimentos in natura, as frutas e verduras. Alguns restaurantes compram em supermercado mesmo, quando o movimento é pequeno. Outros em atacadistas, mas, reflete no preço médio. E alguns supermercados compram em atacadistas e repassam isso pro consumidor. É uma cadeia que realmente está muito cara na Grande Vitória”, disse.

Segundo ele, essa sequência de altas nunca foi registrada no levantamento, feito desde 2007.

Confira os maiores e menores preços de uma refeição completa nos municípios pesquisados:

Florianópolis (SC) R$ 43,35

Serra (ES) R$ 43,21

Palmas (TO) R$ 42,79

Vitória (ES) R$ 42,54

Niterói (RJ) R$ 40,08

Vila Velha (ES) R$ 39,85

Rio de Janeiro (RJ) R$ 39,74

Santo André (SP) R$ 38,98

Campinas (SP) R$ 37,81

Barueri (SP) R$ 37,59

Média Nacional R$ 34,84

Belo Horizonte (MG) R$ 31,10

Jaboatão dos Guararapes (PE) R$ 30,91

Curitiba (PR) R$ 30,61

João Pessoa (PB) R$ 30,58

São Bernardo do Campo (SP) R$ 30,46

Manaus (AM) R$ 30,17

Nilópolis (RJ) R$ 30,16

Guarulhos (SP) R$ 29,96

Recife (PE) R$ 29,70

Diadema (SP) R$ 28,85

Ver comentários