Notícia

Balsa que trazia equipamentos para plataforma no ES naufraga em SC

Módulos eram transportados para o Estaleiro Jurong, que foi contratado para concluir a construção do navio-plataforma

Módulos que afundaram na barcaça que viria para o Espírito Santo
Módulos que afundaram na barcaça que viria para o Espírito Santo
Foto: Reprodução

Duas estruturas que seriam usadas para a construção da plataforma P-71 de produção de petróleo da Petrobras, naufragaram na noite de sábado (18). Os equipamentos saíram de Itajaí, em Santa Catarina, e tinham como destino o Estaleiro Jurong Aracruz, no Espírito Santo, que é o responsável por fazer a conclusão da montagem do navio-plataforma que será instalado no campo de Sururu, na Bacia de Santos.

Os equipamentos estavam sendo transportados em uma balsa da empresa Locar pela companhia de rebocadores Tranship. A barcaça afundou pouco depois de partir, a 75 milhas de Itajaí. Segundo a Tranship, não houve vítimas, já que o rebocador não foi afetado, nem há risco de vazamento de óleo. 

Os módulos 15 e 16, como são chamados, seriam integrados na plataforma P-71 pela Jurong, que foi contratada pela Petrobras no ano passado. O casco está sendo construído na China pelo estaleiro CIMC Raffles. Quando estiver operando, a P-71 terá capacidade para produzir 150 mil barris de petróleo por dia.

> Construção de plataformas e reparo de navios criam empregos no ES

A plataforma tinha sido originalmente encomendada ao estaleiro Rio Grande, no Rio Grande do Sul, do Grupo Ecovix, que entrou em recuperação judicial. Como a Petrobras reviu as encomendas, a unidade (assim como outras) foi redirecionada para a China com finalização no Estado.

Atualmente, o Estaleiro Jurong Aracruz já faz a integração da P-68, primeiro casco que a Petrobras contratou para ser finalizado no Estado. O navio-plataforma chegou em dezembro de 2016.

INVESTIGAÇÕES

A Petrobras informou que junto com suas contratadas Jurong, Locar e Tranship, está "realizando trabalhos de inspeção da balsa Locar V e de avaliação dos dois módulos da plataforma P-71". Segundo a estatal, trata-se um naufrágio parcial.

Foi realizado na segunda-feira (20) um sobrevoo no local pela Petrobras, Marinha e o Ibama, não sendo detectada presença de óleo no mar, segundo a petroleira.

A Petrobras instaurou uma comissão de investigação para avaliar as causas do acidente. Já á Tranship disse que as condições de navegabilidade da balsa serão avaliadas.

Procurado, o Estaleiro Jurong não respondeu aos questionamentos da reportagem até a última atualização da matéria.

Ver comentários