Notícia

Criadores de animais no ES ficam em alerta para doenças

A preocupação para que os bichos não adquiram doenças é diária e tem motivo. Algumas dessas enfermidades podem fazer com que o criador tenha que eliminar todo o rebanho, o que geraria um grande prejuízo

Foto: Pixabay

A rotina de cuidado no trato animal é seguida a risca pelos criadores de aves, bovinos e suínos no Estado. A preocupação para que os bichos não adquiram doenças é diária e tem motivo. Algumas dessas enfermidades podem fazer com que o criador tenha que eliminar todo o rebanho, o que geraria um grande prejuízo.

Entre as doenças listadas por quem trabalha com a suinocultura, por exemplo, a mais temida é a peste suína clássica. Apesar de ainda não ter chegado ao Estado, ela já causa o estragos no Norte e Nordeste do país.

“Essa situação acende um alerta aos produtores capixabas que entram em um estado de apreensão e de cuidado redobrado. O acesso de pessoas e carros e a chegada de outros animais às criações começam a ter um processo de higienização mais rigoroso”, explica o diretor-executivo das Associações de Avicultores e de Suinocultores do Espírito Santo (Aves e Ases), Nélio Handi.

Apesar de não ser transmitida ao ser humano, a doença é um problema de ordem econômica para os criadores. Entre as medidas adotadas para conter a propagação da peste, a exemplo do que foi realizado no Ceará, no final do ano passado, está a proibição do trânsito e comercialização de suínos.

Além disso, os suínos contaminados têm alto grau de mortalidade. Como a doença é altamente contagiosa, a recomendação é que animais com o vírus sejam sacrificados.

CONSTANTE

Leia também

Com a avicultura o alerta é para gripe ou influenza aviária. A doença é viral e altamente contagiosa. Ela é capaz de afetar várias espécies de aves. além disso, ela pode dizimar a criação por levar os animais a óbito. Apesar de ainda não haver registro no país, ela está em permanente controle.

“Já temos registros na Ásia, Europa e em alguns países da América do Sul. A influenza requer a eliminação parcial ou total das aves contaminadas. A presença dela pode comprometer a exportação, já que alguns países exigem que o local de origem das aves esteja livre da gripe”, conta Handi.

Ainda de acordo com ele, a manifestação da gripe aviária em outros países ocorreu principalmente no período de passagem do verão para o inverno. “É um momento em que as aves estão mais suscetíveis às doenças respiratórias. Os países com histórico de influenza relatam que ela teve início nas granjas informais, por serem locais com infraestrutura e manejo mais precário”, comenta.

Já na cultura do gado leiteira é a mastite a doença que mais causa prejuízos ao produtor capixaba. De acordo com a médica-veterinária do Setor de Qualidade de Captação de Leite da Coopeavi, Juliana Maria Piassi, uma vaca com essa doença chega a perder 30% da capacidade de sua produção leiteira.

 

 

“Ela é uma inflamação bacteriana causada geralmente pela má higienização na hora da ordenha. Por ser tratada com antibiótico, o leite precisa ser descartado”, diz.

PROTEÇÃO

 

 

A subgerente de Defesa Sanitária Animal do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado (Idaf), explica que muita doenças podem ser evitadas, ou minimizadas, por meio da vacinação e monitoramento constante. Este é o caso da febre aftosa, da brucelose e da gripe aviária.

“Os produtores precisam notificar a ocorrência dessas doenças. Atualmente a que mais recebemos informações por parte deles é a raiva, porque têm medo de serem contaminados. Quanto antes soubermos, mais rápida será a ação contra a chegada dessas enfermidades.”

AS DOENÇAS

Avicultura

Gripe aviária

A influenza é uma doença viral altamente contagiosa que pode dizimar a criação. Ainda não há registro no país, porém, é uma doença de permanente controle.

Bovinocultura

Brucelose

É contagiosa e crônica causada por bactéria que pode ser transmitida para o ser humano. Ela causa aborto no gado e infertilidade.

Mastite

É uma inflamação da glândula mamária do rebanho. Ela é tratada com antibióticos, por isso o leite precisa ser descartado.

Leptospirose

É uma doença infecciosa causada por bactérias. Ela causa aborto e infertilidade no rebanho. Ela pode ser transmitida para o ser humano.

Febre aftosa

É uma doença viral, que pode levar a perda de produção de leite e convalescença. Devido a alta disseminação, muitos países deixam de importar produto dos locais com a ocorrência da doença.

Suinocultura

Peste suína clássica

Hoje não há registro no Estado, porém já há ocorrências no Norte e Nordeste do país. Ela é uma doença altamente contagiosa e fatal.

Raiva

É uma doença letal causada por um vírus em mamíferos. O animal apresenta mudança de comportamento. Não tem cura e pode ser transmitida para humanos.

Ver comentários