Notícia

Espírito Santo abre mais de 2,8 mil vagas de emprego em abril

Número é maior em relação ao ano mesmo mês de 2018, quando 2.765 mil vagas foram ofertadas. No ano, já são mais de 9 mil postos abertos

Fila para vagas de emprego no SINE da Serra
Fila para vagas de emprego no SINE da Serra
Foto: João Paulo Rocetti

O Espírito Santo fechou o mês de abril com saldo positivo no mercado de trabalho formal. De acordo com dados divulgados nesta sexta-feira (24) pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), um total de 2.881 vagas foram abertas, a maioria no setor de agropecuária (1.438). O número é melhor em relação a abril do ano passado, quando 2.765 vagas foram ofertadas. 

O município com o maior número de vagas abertas foi Linhares (1.014), na Região Norte do Espírito Santo. Já a cidade com o maior número de vagas fechadas neste mês foi Aracruz (-647). O único setor que teve saldo negativo no mês de abril deste ano foi o de serviços industriais de utilidade pública (-16).

O acumulado do ano mostra que 9.066 vagas foram abertas, levando em consideração as 117.906 abertas e 108.840 fechadas. Já levando em conta os últimos 12 meses - de maio do ano passado a abril deste ano -, o saldo foi de 17.035 vagas abertas (com 339.066 admissões e 321.971 demissões).

> Caged: Brasil cria 129,6 mil vagas formais, melhor resultado desde 2013

Orlando Caliman, economista e mestre em ciências políticas, avalia que este é um bom sinal, pois abrange os stores. "Na agropecuária, já era esperado, principalmente pela colheita do café. Não é um movimento exclusivo do Espírito Santo, abrange todo o Brasil. O movimento ainda é fraco mas sinaliza melhora", avaliou.

Já Danielle Nascimento, economista da OPE Sociais, frisa que os meses de abril e maio tipicamente são meses de aumento do saldo de empregos (com exceção dos anos de 2015 e 2016 em que esse saldo foi muito baixo e até negativo). "Quando analisamos por setor de atividades, vemos que isso tem uma forte relação com os ciclos agro (como vocês já perceberam). Por exemplo, estamos em período de colheita do café, um dos principais produtos do período, que é algo bem sazonal", aponta. 

O saldo acumulado deste ano foi positivo e o mais alto dos últimos 5 anos. O resultado é bom, mas precisamos estar atentos a quais postos de trabalho estão sendo criados e em quais áreas para conseguirmos aproveitar da melhor forma
Danielle Nascimento, economista da OPE Sociais

Setores que mais abriram vagas em abril de 2019 no ES

Agropecuária (1.438), serviços (770), comércio (307), construção civil (197), indústria de transformação (170), administração pública (10), extrativa mineral (5) foram os setores que tiveram saldo positivo na abertura de vagas em abril. Serviços industriais de utilidade pública foi o único que fechou o mês no negativo (-16).

AVALIAÇÃO DA FECOMÉRCIO-ES

De acordo com José Lino Sepulcri, presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços de Turismo do Estado do Espírito Santo (Fecomércio-ES), a insegurança política e econômica do país são fatores que, naturalmente, desestabilizam o empresário e investidor. "As expectativas que se tinham em relação ao novo governo - de otimismo exagerado - com as divergências políticas, quer sim, quer não, repercute no mercado do comércio de modo geral", comentou.

Questionado sobre a abertura e fechamento constantes de postos de trabalho nos comércios na Grande Vitória, José Lino rebate. "Isso é muito relativo. A meu ver, a grande baixa de estabelecimentos comerciais fechados nós praticamente já superamos. Esporadicamente, pode estar acontecendo. Avalio que a tendência é ir regularizando", finalizou o presidente da Fecomércio-ES.

MÊS DE MARÇO

A situação atual é um pouco diferente da que havia no mês de março, em que o Estado encerrou com saldo negativo de 843 vagas. No mês passado, o número local e o nacional (-43,1 mil) ficaram abaixo das estimativas de mercado. Já em janeiro, o saldo foi positivo: de 2.608 vagas. Fevereiro também gerou 3.541 postos de trabalho.

ABRIL DE 2018

Aparentemente, abril tem sido um bom mês para quem procura emprego. É que, no ano passado, este mesmo mês também terminou com saldo positivo, com um total de 2.765 postos formais criados a mais do que o número de demissões. Os setores de serviços, agropecuária e indústria da transformação tiveram os melhores desempenhos do mês.

No ano passado, os setores de serviços (926), agropecuária (640), indústria da transformação (580), comércio (352), construção civil (174), extrativa mineral (65) e serviços industriais de utilidade pública (35) colaboraram com o crescimento do saldo de empregos. Apenas a administração pública teve saldo negativo (-7) em abril de 2018.

DADOS LOCAIS

A tabela do Caged divulgada nesta sexta-feira (24) mostra ainda que, no Espírito Santo, os dados são positivos em relação aos últimos 12 meses - com o saldo de 17.035 vagas abertas. O número é o resultado das 339.006 admissões e 321.971 desligamentos.

No acumulado do ano, o saldo foi de 9.066 vagas. Ao todo, mais de 117.906 trabalhadores ingressaram no mercado capixaba, enquanto 108.840 foram desligados de seus postos no mesmo período.

MELHOR ABRIL DESDE 2013

De acordo com informações do Ministério da Economia, o Brasil criou em abril um total de 129.601 vagas com carteira assinada. O saldo é a diferença entre as contratações e a demissões. Em abril, o país registrou 1.374.628 contratações e 1.245.027 demissões.

Esse resultado proporcionou uma recuperação em relação ao mês anterior, quando foram fechadas 43.196 vagas formais. Segundo o Ministério da Economia, o saldo do mês passado foi o melhor resultado para abril desde 2013. Naquele período, o Caged registrou a criação de 196.913 vagas.

> Dia Livre de Impostos: produtos no ES com descontos que passam dos 60%

De acordo com a pasta, este é o terceiro ano consecutivo de saldos positivos e crescentes no mês de abril, e este número reflete a recuperação do contingente de empregos formais em abril desde 2017.

NO BRASIL, POR SETORES

Os números do governo revelam que, em abril, houve abertura de vagas em todos os oito setores da economia. O maior número de empregos criados aconteceu no setor de serviços. Já a indústria extrativa minera foi o setor que criou menos vagas.

Indústria de Transformação: +20.479

Serviços: +66.290

Agropecuária: +13.907

Construção Civil: +14.067

Extrativa Mineral: +454

Comércio: +12.291

Administração Pública: +1.241

Serviços Industriais de Utilidade Pública: +867

Ver comentários