Notícia

Estudantes criam peixes e cultivam hortaliças para idosos

Alunos do Ifes aprendem como aliar tecnologia, sustentabilidade e solidariedade

Sistema integrado de criação de peixes e cultivo de hortaliças
Sistema integrado de criação de peixes e cultivo de hortaliças
Foto: IFES/DIVULGAÇÃO

De forma sustentável e humanizada, estudantes de Alegre, na Região Sul do Estado, implantaram uma horta interligada a um criadouro de peixes em uma casa de amparo a idosos em Jerônimo Monteiro. A iniciativa, que concilia educação, agricultura e sustentabilidade, vem mostrando bons resultados.

Com duas caixas d’água – uma de 500 litros e outra de mil litros –, canos, madeira e uma bomba, alunos do curso de Engenharia de Aquicultura do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes), Campus Alegre, montaram um sistema integrado de piscicultura e aquaponia (sistema de produção de alimentos que combina a aquicultura convencional com a hidroponia).

Segundo o professor do Ifes que coordena o projeto Aquaponia Solidária, Thiago Bernardo de Souza, no ano passado, durante uma visita à Casa de Amparo aos Idosos Maria Bossois Lannes, moradores e funcionários pediram que ele fizesse uma horta no local.

“Como dou aulas para o curso de Engenharia de Aquicultura, eu precisava envolver de alguma forma os meus alunos. Decidi então aliar a produção de hortaliças com a de peixes”, contou.

> Selo vai permitir que queijo do ES seja vendido pelo país

A implantação do sistema começou no final de 2018. Com a ajuda da comunidade e de donos de material de construção, Thiago conseguiu doações para construir o sistema.

Plantio de mudas em projeto de extensão é realizado em Jerônimo Monteiro
Plantio de mudas em projeto de extensão é realizado em Jerônimo Monteiro
Foto: IFES/DIVULGAÇÃO

A cada 40 dias, aproximadamente, os funcionários da casa de amparo colhem alface. Já os temperos verdes, como cebolinha e salsa, e a couve podem ser retirados com maior frequência. Já na piscicultura , a expectativa é de que sejam produzidos 20 quilos de tilápias na primeira pesca.

“Tudo o que é produzido vem para os nossos idosos. É um alimento saudável e praticamente sem custo para eles. Vivemos de muitas doações e esse projeto é maravilhoso”, comenta Rosane Leandra Fernandes, cozinheira da casa de amparo aos idosos.

MANUTENÇÃO

Segundo Thiago, o custo de manutenção desse sistema é muito baixo. Para começar, é preciso abastecer as duas caixas d’água. A maior, de mil litros, é onde ficarão os peixes, e a menor (500 litros) é onde a água residual deles será direcionada. “A bomba que joga a água entre as caixas consome pouca energia, cerca de R$ 10 por mês na conta de luz”, conta.

Além das turmas do professor, oito alunos estão envolvidos no projeto como voluntários. Leonardo dos Reis Periard, 22 anos, está no quarto período do curso e começou este ano no projeto.

“Esse é um projeto de extensão que vai muito além da aula teórica e da prática. Temos contato direto com os idosos, já que vamos lá na casa de amparo de duas a três vezes por semana dar manutenção no sistema”, comenta o rapaz, que está desenvolvendo um projeto de pesquisa sobre os custos e os benefícios do sistema.

SAIBA MAIS

Sistema Aquaponia

O que é?

É um sistema de produção originado da junção da aquicultura com a hidroponia.

Como funciona?

Os resíduos dos organismos aquáticos que se acumulam na água servem como fonte de nutrientes para as plantas. Depois, essa água volta para o tanque de peixes, que retorna às plantas.

O que é preciso para implantar?

Duas caixas d’água, tubos, uma bomba d’água, um filtro mecânico e um biológico, e escoras de madeira.

Ver comentários