Notícia

Funcionários de hospital do ES são isolados após contato com tripulantes

Eles apresentaram dores de cabeça, náuseas e dor abdominal depois de prestarem atendimento aos três tripulantes resgatados do navio AP DUBRAVA

Navio onde dois morreram ficará atracado por três dias no ES
Navio onde dois morreram ficará atracado por três dias no ES
Foto: José Carlos Schaeffer | CBN Vitória

Dois funcionários do Hospital Meridional Praia da Costa, em Vila Velha, passaram mal e foram isolados após realizaram os primeiros atendimentos aos três tripulantes resgatados do navio AP DUBRAVA. Segundo a médica pneumologista Kristiane Soneghet, eles apresentaram dores de cabeça e náuseas e um deles teve dores abdominais. Eles continuam em isolamento por orientação da Vigilância Sanitária. 

Segundo o hospital, os funcionários, que fazem parte da equipe de enfermagem, apresentaram mal-estar após contato com os tripulantes. Eles teriam sido os primeiros a prestar atendimento as vítimas, segundo a pneumologista Kristiane Soneghet. Ela acredita que os sintomas sejam consequência do contato com o gás que os tripulantes tiveram. 

Eu não participei do atendimento inicial, porém acreditamos que eles passaram mal por causa do gás que os tripulantes tiveram contato. A princípio não consideramos que seja por causa de algum vírus
Kristiane Soneghet, médica pneumologista

Os dois funcionários, apesar de já estarem bem e sem sintomas, segundo o hospital, foram isolados por orientação do Centro de Informações Estratégicas e Respostas em Vigilância em Saúde (CIEVS). "Quando acontecem casos assim, tem todo um protocolo para que o funcionário fique em isolamento, sendo monitorado", disse Kristiane. 

Veja a nota na íntegra do hospital:

O Grupo Meridional confirma que dois funcionários do Meridional Praia da Costa apresentaram, inicialmente, sintomas brandos e leve mal-estar após contato com os tripulantes, mas já se encontram integralmente bem e sem quaisquer sintomas. Eles e os tripulantes estão em isolamento por orientação do CIEVS (Centro de Informações Estratégicas e Respostas em Vigilância em Saúde) até que a investigação seja concluída.

Ainda nesta sexta-feira, um dos funcionários teve alta. A previsão é de que o segundo funcionário seja liberado neste sábado (20).

ENTENDA O CASO

Dois tripulantes morreram e outros três passaram mal após um vazamento de gás no Navio Mercante "AP DUBRAVA", com bandeira das Ilhas Marshall. A embarcação transportava malte e, com o acidente, teve que atracar em Vitória. A suspeita da médica pneumologista Kristiane Rocha Moreira Soneghet é de que os tripulantes tenham se intoxicado com gás sulfídrico decorrente de decomposição de matéria orgânica durante uma limpeza na tubulação do navio

PEDIDO DE SOCORRO

De acordo com a Marinha do Brasil, os membros da embarcação pediram socorro no final da tarde de quarta-feira (17), quando o navio estava a 160 milhas náuticas da costa do Espírito Santo — cerca de 296 quilômetros.

> Fotojornalismo: o resgate de tripulantes em navio atracado em Vitória

O serviço de Busca e Salvamento da Marinha foi acionado para prestar o socorro, dando início a uma operação que contou com o apoio de uma aeronave da Marinha e da Capitania dos Portos do Espírito Santo.

RESGATE

Resgate de tripulantes de navio na costa do Espírito Santo
Resgate de tripulantes de navio na costa do Espírito Santo
Foto: Bernardo Coutinho

Já na manhã desta quinta-feira (18), foi realizado o resgate de três tripulantes com um helicóptero da Marinha. Eles foram conduzidos para tratamento em hospitais de Vila Velha e de Cariacica. Os corpos dos dois mortos permaneceram no navio até o início desta tarde. O navio partiu de San Lorenzo, na Argentina, e tinha como destino Las Palmas, na Espanha.

PERÍCIAS

Como o acidente aconteceu em alto-mar, as perícias foram realizadas pela Polícia Federal. Por meio de nota, a superintendência do órgão informou que a Delegacia de Plantão foi informada e determinou o envio de equipe de policiais federais ao Porto de Vitória para se inteirar dos fatos e realizar os exames periciais. 

Navio onde dois morreram ficará atracado por três dias no ES
Navio onde dois morreram ficará atracado por três dias no ES
Foto: José Carlos Schaeffer | CBN Vitória

ATRACAÇÃO NO PORTO

A embarcação atracou por volta das 17h45 desta quinta-feira (18) no berço 101 do Cais Comercial de Vitória, onde deve permanecer por três dias.

Navio onde dois morreram ficará atracado por três dias no ES
Navio onde dois morreram ficará atracado por três dias no ES
Foto: José Carlos Schaeffer | CBN Vitória

ESTADO DE SAÚDE DOS TRIPULANTES

Dois tripulantes com quadro clínico de inalação de monóxido de carbono estão no Meridional Praia da Costa, em Vila Velha. Eles estão estáveis, conscientes, na UTI, fazendo oxigenoterapia e sessões de hiperbárica. Já o terceiro tripulante, que com o estresse da situação também passou mal, está internado no Hospital Meridional em Cariacica. Ele teve a suspeita de Acidente Vascular Cerebral (AVC) descartads após a realização de exames e segue estável e consciente.

DML

Por volta das 20 horas os corpos foram levados para o Departamento Médico Legal (DML) de Vitória, onde passarão por necropsia para identificar a causa da morte. Quatro dos homens que passaram mal inalaram o gás tóxico; o quinto trabalhador ficou em estado de choque.

ESTAVAM LIMPANDO TUBULAÇÃO

A empresa dona do DP DUBRAVA afirmou em comunicado a mercado financeiro que os tripulantes afetados após o suposto vazamento de gás realizavam uma atividade conhecida como flushing (limpeza de redes de tubulação).

"ATIPICO", DIZ ESPECIALISTA

De acordo com o especialista marítimo portuário Luigi Goulart Viana, a limpeza de tubulação de um navio graneleiro durante a navegação é atípica. Manutenções como essas ocorrem, normalmente, em embarcações de combustível.

INFORMAÇÕES SOBRE O NAVIO E O ACIDENTE

Nome do navio: AP DUBRAVA, construído em 2015

Empresa dona da embarcação: Atlantska Plovidba

Bandeira: Ilhas Marshall

Origem: San Lorenzo na Argentina

Destino: Las Palmas, território espanhol localizado nas Ilhas Canárias.

Local onde estava na hora do acidente: 160 milhas náuticas da costa capixaba, cerca de 296 km

Número de mortos: 2 -  nomes e nacionalidades não divulgados

Número de socorridos: 3. Dois inalaram gás e o terceiro foi socorrido em estado de choque.

Ver comentários