Notícia

PF faz operação para desarticular esquema de estelionato em CPF no ES

As principais vítimas dos criminosos eram aposentados, que tinham as idades alteradas pelos bandidos para facilitar a concessão dos empréstimos mediante fraude.

Malote com o material apreendido na Operação Rejuvenate, da Polícia Federal.
Malote com o material apreendido na Operação Rejuvenate, da Polícia Federal.
Foto: Polícia Federal

Com o objetivo de desarticular um esquema de estelionato no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), a Polícia Federal do Espírito Santo realizou, na manhã desta terça-feira (09), a operação Rejuvenate. As principais vítimas dos criminosos eram aposentados, que tinham as idades alteradas pelos bandidos para facilitar a concessão dos empréstimos mediante fraude. Nove discos rígidos de computador foram apreendidos.

> Golpistas fazem aposentados pagarem por seguro que não contrataram

A ação foi realizada através da Delegacia de Crimes Fazendários (DELEFAZ) e contou com a participação de 11 policiais federais. A operação cumpriu dois mandados de busca e apreensão na sede de uma empresa financeira e na residência dos proprietários, ambos localizados em Vitória. O resultado foi a apreensão de nove discos rígidos de computador.

De acordo com a Polícia Federal, a ação investiga um esquema de estelionato que costuma ter como vítimas pessoas aposentadas. A suspeita é que o crime seria praticado pelos administradores da financeira investigada.

> Golpe do "Posso ajudar?" faz vítimas em bancos no Espírito Santo

"Havia a tomada de empréstimos fraudulentos junto à Caixa Econômica Federal em face da adulteração do ano de nascimento de idosos no cadastro do CPF da Receita Federal, a fim de que fosse possível a sua concessão com a diminuição da idade do aposentado e posteriormente a apropriação indevida dos valores concedidos pela Caixa. Desta forma, a idade dos idosos eram alteradas de modo a facilitar a concessão dos empréstimos mediante fraude, fato que ensejou o nome da operação “Rejuvenate” que significa em latim rejuvenescimento", explicou a PF por nota.

Os investigados, que não foram identificados pela PF, poderão responder pelos crimes de Estelionato, Falsidade Ideológica, e Inserção de Dados Falsos em Sistema de Informações.

> Operação investiga venda de créditos falsos para empresas no ES

 

 

Ver comentários