Notícia

250 mil no ES podem usar FGTS para quitar dívidas de até R$ 500

Consumidores poderão aproveitar o saque-imediato para voltar a ter nome limpo

FGTS: governo criou calendário de saques de até R$ 500
FGTS: governo criou calendário de saques de até R$ 500
Foto: Arquivo

Desde que foi anunciada, a liberação do saque das contas ativas e inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) tem gerado uma grande expectativa nos trabalhadores, que fazem planos para dar o melhor destino possível ao dinheiro. Apesar da intenção de aquecer o mercado, economistas já alertaram que a prioridade deve ser o pagamento de dívidas.

Selo do Curso de Residência em Jornalismo Rede Gazeta
Selo do Curso de Residência em Jornalismo Rede Gazeta
Foto: Divulgação

Um levantamento da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Vitória indica que há um total de 714.456 pessoas inadimplentes no Espírito Santo, deste número, 254.060 estão com dívidas de até R$ 500, valor igual ao disponibilizado para saque pelo governo. Se todas forem contempladas com o saque imediato do FGTS, elas terão a chance limpar o nome.

Cerca de 2 milhões de pessoas poderão resgatar o FGTS no Estado, de acordo com o cronograma de saque que terá início em setembro. Neste cenário, é provável que uma parcela dos endividados capixabas voltem à adimplência neste segundo semestre.

Segundo o gerente de negócios da CDL, Geraldo Calenzani, os principais registros no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) atualmente são de dívidas com cartões de crédito, crediários - tanto os feitos diretamente com a loja quanto os praticados por meio de cartões de financeira e cheque especial. As altas taxas de juros estipuladas pelos bancos acabam contribuindo para manutenção desse endividamento.

>Mesmo com país em recessão técnica, economia do ES cresce

Calenzani vê benefícios ao trabalhador com a oportunidade de quitação dos débitos. “Os credores estão sempre dispostos a fazer algum tipo de negociação. Com esse dinheiro em mãos, o consumidor tem a vantagem de poder fazer um acordo diretamente com os credores, seja para tentar um desconto ou garantir um parcelamento, usando o recurso como entrada”, analisa, ressaltando que, firmada a negociação, a pessoa já tem o nome liberado do SPC.

>Parlamentares querem ampliar valor do saque do FGTS este ano

A expectativa do comércio em relação ao saque e ao pagamento de dívidas também é alta. Por se tratar de uma quantia que não estava prevista no orçamento das pessoas, o esperado é que haja uma antecipação na quitação dessas pendências e, com isso, esses trabalhadores voltem a estimular a economia por meio do consumo. “O comércio está ansioso para este recebimento, vai dar uma movimentada, principalmente por conta dos consumidores que decidirem resolver as dívidas e tirar o nome do SPC”, afirma Calenzani.

Vai pagar dívidas? saiba o que fazer 

O Gazeta Online conversou com o economista Sebastião Demuner, e listou alguns cuidados essenciais que o trabalhador precisa ter ao usar o FGTS para quitar as dívidas atrasadas.

Priorize as contas com as taxas de juros mais altas

A primeira coisa a ser feita para começar a organizar a vida financeira é separar as contas por ordem de prioridade. Caso não seja possível o pagamento de todos os débitos, o mais indicado é dar preferência para aqueles que apresentam a maior taxa de juros, como cartão de crédito e cheque especial. Segundo o economista, dívidas com cartão de crédito devem ser sempre as primeiras a serem quitadas.

Sebastião Demuner é conselheiro do Conselho Regional de Economia do Espírito Santo (Corecon).
Sebastião Demuner é conselheiro do Conselho Regional de Economia do Espírito Santo (Corecon).
Foto: Acervo pessoal

Opte pelo pagamento integral

É comum que algumas pessoas considerem fazer pagamentos parciais das dívidas visando outras necessidades, porém, além de não resolver a inadimplência, isso pode aprofundar o endividamento a curto prazo. Se houver possibilidade, o ideal é que os débitos sejam liquidados. Usar o dinheiro para zerar as dívidas é o melhor caminho para garantir a reorganização financeira, alerta o especialista.

Negocie com os credores

Antes de efetuar o pagamento a recomendação é entrar em contato com a instituição financeira para tentar negociar os juros. Em alguns casos, há abatimento do valor para quitação adiantada ou integral, e, na maioria das vezes, as instituições financeiras têm interesse na negociação.

Parcele com entrada

Para as pessoas que têm dívidas maiores que os R$ 500 liberados pelo governo, o ideal é usar o valor disponível como entrada e dividir o restante em parcelas fixas. Fazendo isso, a pessoa já consegue projetar a vida para os próximos meses, sabe quanto vai pagar, evita a cobrança de novas taxas de juros e a manutenção do valor total da dívida.

Fuja de gastos supérfluos

Dinheiro na mão é vendaval. O ditado é antigo mas reflete bem a rotina de consumo de muitas pessoas, que acabam se deixando levar pelos estímulos do comércio. Neste momento, não fazer novas dívidas é fundamental. Por isso, a dica é limitar ou, se possível, eliminar totalmente os gastos, focando apenas no essencial.

Cuide do seu dinheiro

É importante ter em mente que o fundo foi criado para ajudar o trabalhador e que este dinheiro é um direito, portanto, deve ser utilizado da melhor forma possível. Fazer o planejamento das dívidas e direcioná-lo de maneira inteligente é o que vai garantir o sucesso na reorganização das finanças.

 

 

Ver comentários