Notícia

Um a cada 4 trabalhadores procura emprego há mais de 2 anos no ES

Das 239 mil pessoas que estão fora do mercado, 58 mil delas estão em busca de emprego há no mínimo dois anos

Fila para vagas de emprego no SINE da Serra
Fila para vagas de emprego no SINE da Serra
Foto: João Paulo Rocetti

Um a cada 4 desempregados no Espírito Santo está em busca de trabalho, mas não consegue uma oportunidade de emprego há no mínimo dois anos, segundo dados divulgados pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad-C), do IBGE. Isso equivale a 24,4% do número de desempregados registrados no 2º trimestre de 2019, um total de 58 mil pessoas.

Apesar de ainda ser alto, o número caiu em relação ao 1º trimestre de 2019, quando haviam 62 mil pessoas a procura de emprego há pelo menos dois anos. A queda acompanha recuo de 2% do desemprego no ES de abril a junho deste ano, 260 mil estavam desocupadas, agora são 239 mil.  

> Sine Móvel leva vagas de emprego a bairros na Serra

Os dados representam pessoas de 14 anos ou mais que estão desempregadas e em busca de uma oportunidade. Cerca de 45,6% profissionais (109 mil) estão nesta situação há no mínimo um mês e no máximo um ano no Estado. Outros 14,2% procuram emprego de um a dois anos e 15,9% há menos de um mês. 

Em relação ao tempo de procura, no Brasil, no 2º trimestre de 2019, 45,6% dos desocupados estavam de um mês a menos de um ano em busca de trabalho. Entre 2012 e 2015, houve redução da proporção de desocupados que buscavam trabalho há 2 anos ou mais.

> Desemprego vem sendo o vilão do aumento da desigualdade salarial

Contudo, a partir de 2016, esse contingente apresentou crescimento sucessivo, atingindo o maior percentual (26,2%) no 2º trimestre de 2019. Neste mesmo período, a proporção dos que buscavam trabalho há menos de um mês era 14,0%.

3,347 milhões procuram trabalho há mais de dois anos no país

Mais de um quarto (26,2%) dos desempregados procuram trabalho há no mínimo dois anos, o que equivale a 3,347 milhões de pessoas nessa condição. Esses números do segundo trimestre são os maiores desde 2012, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), divulgada hoje pelo IBGE.

Em um ano, houve acréscimo de 196 mil pessoas que estão à procura de emprego há dois anos ou mais.

Esse total era de 1,435 milhões de pessoas em 2015, um indicador com tendência de crescimento em função da dificuldade da inserção no mercado de trabalho a partir do início da crise econômica, em finais de 2014.

“A proporção de pessoas à procura de trabalho em períodos mais curtos está diminuindo, mas têm crescido nos mais longos. Parte delas pode ter conseguido emprego, mas outra aumentou seu tempo de procura para os dois anos”, avalia a analista da PNAD Contínua, Adriana Beringuy. (Com informações do IBGE)

Ver comentários