Notícia

Em greve, trabalhadores dos Correios protestam no Centro de Vitória

Categoria realiza manifestação contra a administração da estatal

Trabalhadores dos Correios, que estão em greve, se concentraram em frente à Defensoria Pública do Estado, na avenida Jerônimo Monteiro, no Centro de Vitória, e deram início a um protesto contra a administração da estatal. O destino é a Praça Oito.

A categoria começou uma paralisação parcial às 0h de quarta-feira (12). Os trabalhadores reivindicam a manutenção do plano de saúde (segundo a categoria, o governo quer aumentar a participação dos servidores no pagamento do plano, de 30 para 50% dos gastos). Também, segundo a categoria, há previsão de diminuição do valor do tíquete-alimentação.

Cerca de 50 profissionais dos Correios estão concentrados no Centro. O Sindicato dos Trabalhadores em Empresas dos Correios do Espírito Santo (Sintect-ES) estima que 60% dos carteiros aderiram à greve no Estado. "Algumas empresas que trabalham com e-commerce já estão retirando a expectativa de entrega porque entendem que não vão conseguir cumprir os prazos habituais", comenta o presidente do sindicato, Fischer Moreira.

A Guarda Civil e a Polícia Militar acompanham a concentração. Os manifestantes disseram à Polícia que vão fechar apenas uma faixa, a da esquerda.

Nota dos Correios: 

"Na expectativa de uma solução que não comprometa ainda mais a situação financeira dos Correios, a empresa entrou, nesta quarta-feira (11), com dissídio coletivo no Tribunal Superior do Trabalho (TST). Agora, a corte irá avaliar o processo de negociação, ouvindo as partes, e o relator produzirá um voto que será analisado por um colegiado do tribunal, em sessão a ser posteriormente agendada.


Conforme amplamente divulgado, os Correios estão executando um plano de saneamento financeiro para garantir sua competitividade e sustentabilidade. Desde o início de julho, a empresa participa de reuniões com os representantes dos empregados, nas quais foram apresentadas a real situação econômica da estatal e propostas para o acordo dentro das condições possíveis, considerando o prejuízo acumulado, atualmente na ordem de R$ 3 bilhões. As federações, no entanto, apresentaram reivindicações que superam até mesmo o faturamento anual da empresa.


Serviços — A empresa já colocou em prática seu Plano de Continuidade de Negócios para minimizar os impactos à população. Medidas como o deslocamento de empregados administrativos para auxiliar na operação, remanejamento de veículos e a realização de mutirões estão sendo adotadas.


A rede de atendimento está aberta em todo o país e os serviços, inclusive SEDEX e PAC, continuam sendo postados e entregues em todos os municípios. Os serviços com hora marcada (Sedex 10, Sedex 12, Sedex Hoje) estão com postagens temporariamente suspensas.


Para mais informações, os clientes podem entrar em contato pelo telefone 0800 725 0100 ou pelo endereço http://www2.correios.com.br/sistemas/falecomoscorreios/

Presença: Levantamento parcial realizado na manhã desta quinta-feira (12) mostra que 82% do efetivo total dos Correios no Brasil está trabalhando regularmente. No Espírito Santo, 83,65% dos empregados estão trabalhando normalmente."

Ver comentários