Notícia

Ser homossexual deixa de ser crime na Índia, mas ainda é em 71 países

Prisão perpétua é aplicada em quatro nações, e pena de morte, em oito

Bandeira LGBT
Bandeira LGBT
Foto: Reprodução/Pixabay

A Índia descriminalizou a homossexualidade nesta quinta-feira (6) mas relações gays continuam sendo ilegais em 71 países - um terço dos que integram a Organização das Nações Unidas (ONU). O relatório mais recente da Associação Internacional de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Transexuais e Intersexuais (Ilga), publicado ano passado, listava 72 nações onde a prática era considerada crime. De lá para cá, apenas a Índia mudou sua lei.

Em oito desses países, quem tem relacionamento com uma pessoa do mesmo sexo pode ser punido com pena de morte: Mauritânia, Somália, Uganda, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Iêmen, Afeganistão e Irã.

Em outros quatro, existe a possibilidade de ser aplicada pena de prisão perpétua: Paquistão, Myanmar, Guiana e Barbados.

No outro extremo, entre os países que reconhecem os direitos dos homossexuais, apenas nove contemplam especificamente a não discriminação por razões de orientação sexual na Constituição.

BRASIL PERMITE UNIÕES CIVIS

No Brasil, embora a homossexualidade tenha sido rotulada até os anos 1980 como “desvio de transtorno sexual” no Código de Saúde do Instituto Nacional de Assistência Médica e Previdência Social, não existe lei que puna relações homossexuais desde a promulgação do Código Penal Imperial, de 1830.

Leia também

Em 22 países ao redor do mundo, casais homoafetivos podem se casar, e em outros 28 é permitido realizar uniões civis - não intituladas casamento, mas dão direitos similares.

Em solo brasileiro, por exemplo, a "celebração de casamento civil ou de conversão de união estável em casamento entre pessoas de mesmo sexo" é permitida desde 14 de maio de 2013, conforme decisão do plenário do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Ver comentários