Notícia

Pai e mãe morrem ao tentar salvar bebê de dois meses no ataque do Texas

O casal foi ao WalMart comprar a decoração e os comes e bebes para a festa de sua filha mais velha

Pais morrem para salvar a vida de bebê de dois meses em tiroteio nos EUA
Pais morrem para salvar a vida de bebê de dois meses em tiroteio nos EUA
Foto: Reprodução/Facebook

Jordan e Andre Anchondo haviam acabado de deixar a filha mais velha deles em um treinamento na escola quando pararam o carro no lotado estacionamento do Walmart e do shopping center em El Paso, no Texas. Assim como eles, centenas de pessoas estavam no local para compras de volta às aulas. O casal pegou o bebê de dois meses na cadeirinha e entraram no local.

Era um dia agitado para eles. A filha mais velha havia acabado de completar seis anos e organizou uma festa de aniversário, à noite. Parentes e amigos iriam visitar a nova casa da família pela primeira vez, disse o irmão de Andre, Tito Anchondo, ao The Washington Post.

O casal foi ao WalMart comprar a decoração e os comes e bebes para a festa. Horas depois, Tito Anchondo recebeu uma ligação do hospital para reconhecer os corpos.

COMPRA DE DECORAÇÃO ACABA EM SACRIFÍCIO

Jordan, uma dona de casa de 25 anos, e Andre, um comerciante de 24 anos, estavam entre as 20 vítimas do ataque a tiros no supermercado. Jordan morreu tentando proteger o bebê. E Andre morreu sobre os dois, tentando protegê-los.

A morte de Jordan foi confirmada no sábado. Membros da família confirmaram a morte de Andre no final da noite de domingo, depois de esperar mais de 24 horas para descobrir o que aconteceu com ele.

Tito e outros membros da família disseram acreditar que Andre morreu tentando proteger sua esposa e filho do tiroteio. "O bebê só sobreviveu porque eles deram a vida para protegê-lo", disse à Associated Press Leta Jamrowski, irmã de Jordan.

A tia de Jordan, Elizabeth Terry, disse à CNN que quando o bebê foi "puxado de debaixo do seu corpo", o sangue de sua mãe ainda estava sobre ele. O bebê, chamado Paul, apenas quebrou os dedos, disse ela, e agora está em casa se recuperando.

Jordan estava segurando-o nos braços quando ela morreu, disse Jamrowski. Ela caiu sobre ele quando desabou no chão, quebrando alguns de seus ossos, mas mantendo-o vivo, sua irmã disse. "Como os pais vão às compras e depois morrem protegendo o bebê de tiros?", perguntou Terry.

ANDRE E JORDAN ESTAVAM CASADOS HÁ UM ANO

Dias antes do tiroteio, Jordan e André tinham acabado de celebrar seu aniversário de casamento de um ano, disse Tito. No ano passado, os recém-casados deram as boas-vindas ao novo filho, e André largou o negócio de da família para fundar um dos seus, Andre House of Granite and Stone. Ele mesmo construiu a casa da família, disse Tito.

Monique Terry, prima de 21 anos de idade de Jordan, disse ao Guardian que a filha mais velha, que esperava por sua festa de aniversário na noite de sábado, ainda não entendeu. "A mais velha continua pedindo a mãe e o pai dela", ela disse.

O ataque a tiros em El Paso foi um dos dois nos Estados Unidos em 13 horas neste fim de semana, quando outro atirador abriu fogo em Dayton, Ohio, e matou nove pessoas, incluindo sua irmã.

O agressor acusado do tiroteio de Dayton, Connor Betts, de 24 anos, foi morto a tiros pela polícia. O criminoso acusado de El Paso, Patrick Crusius, de 21 anos, foi preso e levado sob custódia e deve enfrentar pena de morte no tribunal estadual, enquanto promotores federais também estão julgando acusações de crimes de ódio.