Notícia

"Sinto que ele está vivo", diz pai de piloto desaparecido em Linhares

De acordo com o pai Janio Stefanelli Barcellos, 59 anos, que também é piloto, o filho estaria na mata, na Reserva Biológica de Sooretama

O piloto Mayke Stefanelli Barcellos está desaparecido desde que decolou em uma aeronave em Linhares
O piloto Mayke Stefanelli Barcellos está desaparecido desde que decolou em uma aeronave em Linhares
Foto: Reprodução/Facebook

O pai do piloto Mayke Stefanelli Barcellos, que está desaparecido há 10 dias após decolar em uma asa-delta motorizada com o amigo Douglas Siqueira Lana, em Linhares, no Norte do Estado, acredita que o filho ainda está vivo. 

De acordo com Janio Stefanelli Barcellos, 59 anos, que também é piloto, o filho está na mata e reforçou o pedido de ajuda do Exército para realizar buscas na Reserva Biológica de Sooretama

Eu sinto que meu filho está vivo e tenho certeza que está na mata. Acredito que o motor deu pane enquanto eles passavam por lá e não deu tempo de saírem. Ele falou que faria aquela rota para economizar tempo. Eu disse a ele que o nosso prazer como piloto é voar sem ter pressa para poder apreciar a paisagem, mas ele não me ouviu e passou pelo trajeto mais perigoso, que não é recomendado

 

Os amigos desapareceram no último dia 21, quando seguiam de Linhares para Mucuri, na Bahia, para participarem de um encontro que reuniu pilotos de todo o Brasil.

> Celulares "apagaram" ao mesmo tempo

ANGÚSTIA

Janio Garuzzi exibe uma asa-delta que ganhou do filho Mayke Barcellos, que está desaparecido
Janio Garuzzi exibe uma asa-delta que ganhou do filho Mayke Barcellos, que está desaparecido
Foto: Brunela Alves

O pai disse que a angústia da família aumenta à medida em que os dias passam, e cobra ajuda das autoridades. "É muito difícil para nós a cada dia que passa sem encontrá-los. Estamos percebendo que o apoio das autoridades está diminuindo também. Nós não podemos parar, pois temos que achá-los vivos ou mortos. Por isso, quanto mais ajuda tivermos, melhor", disse.

A irmã do piloto, Jessica Stefanelli Barcelos, 30 anos, disse que os amigos estão sendo muito importantes nas buscas. "Os amigos estão sendo fundamentais nos ajudando desde o início nas buscas, pois para nós, essa espera é muito triste e angustiante. Eles podem estar machucados e não podemos desistir de tentar salvá-los", disse.

BUSCAS

Nesta segunda-feira (01) a equipe do Corpo de Bombeiros e amigos realizaram buscas terrestres e na lagoa com o auxílio de uma moto aquática.

O tenente-coronel Ferrari, do Corpo de Bombeiros, informou que as buscas serão concentradas a partir de desta terça-feira (02), na lagoa Juparanã com o equipamento sonar, que apresentou um problema na última sexta-feira (28).

> Famílias pedem apoio do Exército nas buscas

"O sonar que estava auxiliando nas buscas apresentou alguns problemas, mas já foi consertado. A partir de amanhã as buscas serão concentradas na lagoa, entre o distrito do Guaxe e o Aeroporto de Linhares, pois os indícios do celular e das testemunhas apontam para essa direção", disse.

Sobre o pedido da família para que as buscas sejam realizadas na mata, Ferrari disse que não há indícios de que os desaparecidos estejam nesse local, mas não descarta a possibilidade de ampliação da área para localizarem os amigos.

> Boatos nas redes sociais atrapalham buscas

"Não há indícios que os dois estejam na reserva, pois as informações dão conta de que eles tentaram voltar ou para o aeroporto ou para pousar na pista onde decolaram, no bairro Jardim Laguna. Então, devemos percorrer esses pontos na lagoa em até dois dias primeiro. Após essas buscas, ampliaremos para áreas menos prováveis, como a da Reserva Biológica em Sooretama", disse.

Ver comentários