Notícia

Procon apreende quase 300 kg de alimentos irregulares em supermercados

Dentre as irregularidades encontradas estavam produtos com prazo de validade vencido, lacres violados, presença de fungos/mofo, latas amassadas e ausência de quaisquer informações da data de vencimento, fabricação, origem e lote

Parte da carga de alimentos que foi apreendida durante a operação
Parte da carga de alimentos que foi apreendida durante a operação
Foto: Divulgação/Procon

Durante uma operação de fiscalização realizada em supermercados de Colatina, região Noroeste do Estado, o Procon municipal apreendeu cerca de 300 kg de alimentos impróprios para o consumo, dentre iogurtes, carnes em geral, biscoitos e suco de frutas.

Os fiscais do Procon percorreram quatro estabelecimentos no município, na operação que começou na segunda-feira (12) e foi até a quarta-feira (14).

Dentre as irregularidades encontradas estavam produtos com prazo de validade vencido, lacres violados, presença de fungos/mofo, latas amassadas e ausência de quaisquer informações da data de vencimento, fabricação, origem e lote.

O diretor do Procon Municipal Benício Tavares, reforça que as ações de fiscalização têm caráter permanente para proteger o consumidor das irregularidades praticadas por estabelecimentos.

Leia também

"É a primeira vez que o Procon de Colatina realiza ação desta dimensão e natureza, conforme verifica-se nos dados administrativos do próprio órgão e pretendemos realizar de forma permanente. A última ação semelhante com esta, foi a de carne clandestina realizada em todo nosso Estado, no ano de 2010. Os fiscais do Procon aproveitaram a oportunidade, para também conscientizar os gerentes dos supermercados para adequarem seus açougues com exposição dos dados necessários para que o consumidor possa saber a procedência, data da validade e do fracionamento, com vistas a preservar o direito de informação legalmente garantido aos consumidores", disse.

Para informações e denúncias, o Procon do município disponibiliza o número (27) 3721-1313 aos consumidores.

Ver comentários