Notícia

Representantes de empresa mexicana visitarão lavoura de café no Estado

Localizada em Pinheiros, fazenda possui tecnologias de ponta para irrigação e nutrição do solo

Lavoura de café no Norte do Estado
Lavoura de café no Norte do Estado
Foto: Larissa Avilez

O Espírito Santo ser o segundo estado que mais produz café no Brasil não é novidade, mas sabia que empresas de fora do país estão de olho na tecnologia que os capixabas vêm adotando para aumentar a produção do grão? Pois é exatamente isso que representantes de uma das principais empresas de café da América Latina farão nesta segunda-feira (28), em visita a uma lavoura em Pinheiros, no Norte do Estado.

Vindos diretamente do México, dois diretores agrônomos da Exportadora de Café Califórnia (ECC México) verão em uso algumas técnicas que possibilitam um aumento na produtividade e na qualidade do grão, ao mesmo tempo em que acarretam uma diminuição do consumo de água, energia e nutrientes. Ou seja, medidas que trouxeram uma maior sustentabilidade agrícola para as plantações de café.

Entre as práticas está a nutri-irrigação e a tensiometria. Juntas, elas permitem que, através de sensores, se meça a umidade e a salinidade do solo e, assim, sejam fornecidas quantidades certas de água e macronutrientes (nitrogênio, fósforo e potássio ou NPK, na sigla como são mais conhecidos) aos pés de café. Além do sistema de gotejo subterrâneo e termômetros que medem a temperatura da terra e o stress solar da planta.

Terceira geração à frente da Fazenda Vitório Orletti, propriedade escolhida para a visita, Thiago Orletti garante que tais investimentos valem à pena. “Estamos falando de um ganho produtivo de até 50% e de uma diminuição de água e energia de até 30%. Além da redução de mão de obra: antes, pelo método convencional, tínhamos duas ou três pessoas para adubar cada hectare. Hoje, tenho um funcionário a cada 100 hectares”, disse.

Estudado por mais de cinco anos, o projeto só não foi executado antes por causa da crise hídrica que atingiu o Estado, com auge entre 2015 e 2016. Implementado há mais de um ano, o pacote tecnológico traz ainda um último benefício. “Com o balanço nutricional permanente, conseguimos um produto final de maior qualidade. Um café mais encorpado e adocicado, o que agrega valor”, revelou Thiago.

Depois de visitar o Espírito Santo, a ECC México e representantes das empresas especializadas em irrigações inteligentes Netafim e Hydra – responsáveis pelo intermédio que possibilitou a visita – seguem para a cidade Guaratinga, no Sul da Bahia. Por lá, eles visitarão outras duas fazendas na terça-feira (29) também a fim de conhecer tecnologias de ponta disponíveis no agronegócio.

Ver comentários