Notícia

Cadela que atuou em Brumadinho passa por exames em Colatina

Beck ajudou a encontrar dois corpos em MG, durante trabalhos dos bombeiros capixabas na região onde a barragem da Vale se rompeu

Cachorra Beck, que trabalhou juntos dos bombeiros no resgate em Brumadinho, passa por exames no Hospital Veterinário da UNESC
Cachorra Beck, que trabalhou juntos dos bombeiros no resgate em Brumadinho, passa por exames no Hospital Veterinário da UNESC
Foto: Larissa Avilez

Assim como os oito bombeiros capixabas que trabalharam no resgate das vítimas de Brumadinho (MG) passaram por exames nessa terça-feira (12), Beck, a cachorra do Corpo de Bombeiros, compareceu pontualmente a uma consulta marcada para as 16h desta quarta-feira (13) no Hospital Veterinário do Centro Universitário do Espírito Santo (UNESC), em Colatina, no Noroeste do Estado.

Acompanhada do Cabo Breno, com quem mora e trabalha, a cadela da raça pastor alemão realizou um check-up para saber como estava a saúde após os 14 dias de trabalho intenso na lama com rejeitos de mineração. Foram três os exames realizados: perfil bioquímico do fígado e do rim por causa dos metais pesados; hemograma para medir a imunidade e averiguar possíveis infecções; e medição de enzimas musculares para prever ou tratar alguma lesão.

Todos ficarão prontos nesta quinta-feira (13) à tarde, mas o veterinário Augusto Gallini está otimista. “Ao que tudo indica, pelos procedimentos que fiz hoje, deve estar tudo bem com ela”, revelou aliviado. Até mesmo um pontinho branco que apareceu no olho direito de Beck durante a operação em Brumadinho, e que preocupava o “dono”, não deve passar de uma lesão já cicatrizada. Mesmo assim, o Cabo Breno foi orientado a observar se a mancha vai aumentar.

COMPANHEIROS EM BRUMADINHO

Cachorra Beck junto do Cabo Breno, com que mora e trabalhou durante as operações em Brumadinho
Cachorra Beck junto do Cabo Breno, com que mora e trabalhou durante as operações em Brumadinho
Foto: Larissa Avilez

Apesar de ter ficado um pouco nervosa no momento de tirar os dois tubinhos de sangue no veterinário, Beck agiu corajosamente em Brumadinho, junto com os cachorros Vida e Athos. “Por terem quatro patas, eles conseguiam chegar aonde nós não conseguíamos. Iam muito além de nós na lama, e tudo sem proteção física”, contou o Cabo Breno. 

> Cadela do Corpo de Bombeiros do ES encontra corpos em Brumadinho

Trabalhando sempre juntos das 5h às 21h, o resgate em Brumadinho foi a maior e mais importante missão de ambos. Diante do cenário e do clima pesado na cidade mineira, a companhia de Beck ajudou o Cabo Breno a enfrentar a situação. “Ela mora comigo, então, para mim, ela é mais que um simples cão farejador. Nós temos uma verdadeira amizade. Com certeza a presença dela por lá me serviu de apoio e me deu forças”, contou o bombeiro.

ATENÇÃO AOS PROFISSIONAIS

De volta ao Espírito Santo desde domingo, os oito bombeiros capixabas que participaram dos resgates às vítimas do rompimento da barragem em Brumadinho passaram por exames nessa terça-feira (12) no Hospital da Polícia Militar (HPM), em Vitória. A atitude é de praxe após profissionais cumprirem grandes ocorrências como esta. Neste caso específico, há uma preocupação extra por causa dos rejeitos de minério contidos na lama.

> Bombeiros capixabas que atuaram em Brumadinho são homenageados

Segundo contou o próprio Cabo Breno, todos os agentes passaram por exames de sangue e por um infectologista, principalmente para detectar possíveis metais pesados na corrente sanguínea. Quem não estava com as vacinas em dia, teve a situação atualizada com doses contra hepatite, sarampo, tétano e raiva. Juntos, eles também passaram por uma primeira sessão psicológica. O acompanhamento físico e mental deve continuar por, pelo menos, mais três anos.

Ver comentários