Notícia

Cães de abrigo são mortos a tiros em Baixo Guandu

Quatro filhotes morreram; outros quatro animais ficaram feridos

Quatro cachorros foram mortos na Associação Melhores Amigos dos Animais, em Baixo Guandu. Os filhotes era irmãos desses dois cães.jpg
Quatro cachorros foram mortos na Associação Melhores Amigos dos Animais, em Baixo Guandu. Os filhotes era irmãos desses dois cães.jpg
Foto: TV Gazeta Noroeste

Quatro filhotes de cachorro, de apenas dois e três meses, foram encontrados mortos por tiros durante esta semana, em Baixo Guandu, no Noroeste do Estado. A primeira morte aconteceu na quarta-feira (13) e as outras três nesta quinta-feira (14). Todos os cães tinham sido resgatados por uma associação, onde seriam tratados e colocados para adoção em seguida.

As voluntárias que trabalham no local, entretanto, ficaram surpreendidas com a crueldade. “Todos eles foram mortos do mesmo jeito, todos apresentavam um buraco na cabeça”, contou a auxiliar administrativa Claudiane Costa, que encontrou os filhotes sem vida nas duas manhãs. Além deles, outros quatro cachorros também ficaram feridos.

> Família é feita refém em Linhares

No registro feito à equipe do 8ª Batalhão da Polícia Militar, Claudiane afirmou que os cachorros já foram enterrados e que suspeita que o crime tenha sido cometido por alguém que se sinta incomodado por causa do barulho ou do odor dos animais. A investigação seguirá sob investigação da Polícia Civil de Baixo Guandu.

MAUS TRATOS É CRIME

Foto: TV Gazeta Noroeste

De acordo com o Artigo 32 da Lei 9.605 de 1998, quem maltrata animais pode pegar de três meses a um ano de detenção com aumento de um terço ou um sexto da pena em caso de morte. Como maus tratos entende-se: abusar, ferir, maltratar ou realizar experimentos dolorosos a animais domésticos, domesticados ou silvestres.

O delegado Ricardo Barbosa, da Delegacia Regional de Colatina, ressalta ainda desdobramentos desta lei. “Maus tratos não é só agressão física, mas também privar o animal de comida e água ou deixá-lo acorrentado. Engloba qualquer situação de sofrimento, incluindo trabalho excessivo de cavalos, por exemplo”, esclareceu.

> Estudante é agredida em arrastão no Transcol

Apesar de positiva, a adoção de animais deve passar por alguns cuidados, de acordo com ele. “Muita gente adquire os animais por fotos da internet, sem saber se a imagem condiz com a realidade de onde eles viveram. A condição dos lugares, no entanto, revelam como tal bicho se desenvolveu”, esclarece o delegado.

VOLUNTÁRIOS E DOAÇÕES

Foto: TV Gazeta Noroeste

A Associação Melhores Amigos dos Animais (AMAA) existe há aproximadamente um ano e funciona como lar temporário para cachorros. Atualmente cerca de 25 cães vivem no local e outros 30 já passaram por lá, antes de serem adotados. O trabalho da entidade consiste em resgatar animais em situação de rua e tratá-los para adoção futura.

Toda a ação é feita por meio de voluntários e doações. “Nós temos algumas pessoas mais ativas, que alimentam, trocam a água e dão remédios aos cães; e também outras que trabalham na arrecadação de dinheiro, ração, medicamentos e produtos de limpeza. Vivemos apenas disso”, explicou a arquiteta Lilian Nepomuceno.

> Presa mulher que prometia cura espiritual

Quem quiser ajudar pode acessar a página da Associação nas redes sociais e enviar uma mensagem privada pelo perfil. A vendedora Estela Pereira garante que todos são respondidos pelas voluntárias. Para resgastes e emergências na região também há um telefone disponível para contato: (27) 9 9790-0766.

Ver comentários