Notícia

Mãe busca doador de medula óssea para filha há 5 anos no ES

Menina nasceu com um caso raro de anemia, a síndrome de Blackfan-Diamont. Saiba como ser um doador de medula óssea

Menina aguarda compatibilidade com doador de medula óssea, no Norte do ES
Menina aguarda compatibilidade com doador de medula óssea, no Norte do ES
Foto: Frideberto Viegas/ TV Gazeta

Uma mãe de Rio Bananal, no Norte do Espírito Santo, faz campanha para encontrar doador de medula óssea há cinco anos para salvar a vida da filha que nasceu com um caso raro de anemia, a síndrome de Blackfan-Diamont. Encontrar uma pessoa compatível tem sido o objetivo da família desde que a doença foi descoberta.

O transplante de medula óssea é apontado por médicos hematologistas como única solução para curar a síndrome. Isso porque, na anemia de Blackfan-Diamond, a medula óssea, que é responsável pela produção de células, não funciona direito e o organismo deixa de produzir glóbulos vermelhos, células dos sangue responsável por transportar o oxigênio pelo corpo humano.

> Técnico de enfermagem doa medula e salva paciente

Sem o funcionamento adequado dessa célula, a Mayara, que tem 5 anos, precisa fazer transfusão de sangue periodicamente. De três em três meses, a mãe dela, Patrícia Preciosa leva a criança para fazer o tratamento em São Paulo. “É o único jeito para manter ela de pé e ativa”, declara a mãe.

Leia também

Para sustentar as idas a outro estado para as transfusões, a mãe já fez um pouco de tudo: de pedido de doação de brindes para rifas no comércio, a faxinas e produção panos de pratos bordados e pintado, e pudim. Patrícia contou que a comunidade sempre foi receptiva e nunca se negou a ajudar a família.

A comunidade também embarcou no pedido da mãe para fazerem exames para serem doadores de medula óssea. Dessa forma, Patrícia espera aumentar as chances de encontrar alguém compatível com a menina. Essa compatibilidade costuma acontecer uma a cada 100 mil habitantes.

COMPATIBILIDADE

Foi por essas campanhas da família de Mayara que a lavradora Fátima Guarnieri se tornou doadora de medula óssea. Para a surpresa dela, Fátima foi compatível com uma pessoa que precisava de doação a mais de 2 mil quilômetros de distância.

“Eu fiz o teste por causa da campanha de doação para a Mayarinha, mas fui compatível com uma pessoa lá de Recife (PE) e fui para lá doar”, disse a lavradora.

Sobre a surpresa da compatibilidade da amiga com uma pessoa do estado do Pernambuco, Patrícia declarou que tem fé em Deus.

“Eu creio e tenho muita fé em Deus de encontrar. Eu creio até em um milagre de Deus, mas enquanto isso, a gente via continuar correndo atrás e pedindo as pessoas para se cadastrar para ser também como a Fátima e salvar uma vida”, revelou a mãe.

COMO DOAR

O cadastro de doador de medula óssea pode ser realizado por qualquer pessoa com idade entre 18 e 55 anos que esteja com boa saúde. O procedimento pode ser feito em qualquer unidade do Hemoes.

No estado são cinco pontos de cadastro: São Mateus, Linhares, Cachoeiro de Itapemirim, Serra e Vitória. O doador preenche um cadastro e é recolhida uma amostra de sangue.

As amostras são enviadas para análise e ficam registradas em um banco nacional de doadores.

Além de realizar o cadastro, a Secretaria de Estado de Saúde (Sesa) enfatiza que é importante que o voluntário seja doador de medula óssea e mantenha os dados atualizados.

O voluntário pode atualizar as suas informações caso tenha mudado, por exemplo, de endereço, telefone e e-mail, no site do Redome, o que facilita que o voluntário seja encontrado caso haja compatibilidade com um paciente à espera do transplante.

HEMOCENTROS

Centro de Hemoterapia e Hematologia do Espírito Santo (Hemoes)

Tel. 3636-7900/7920/7921- Avenida Marechal Campos, 1.468, Maruípe, Vitória. Funciona de segunda-feira a sábado, das 07 às 17h30;

Unidade de Coleta a Distância da Serra

Tel. 3338-7880/3338-7373. Avenida Eudes Scherrer Souza, s/n (anexo ao Hospital Estadual Dório Silva). Funciona de segunda-feira a sexta-feira das 7 às 12h30;

Hemocentro de Linhares

Tel. (27) 3171-4361/4363/4362 - Avenida João Felipe Calmon, 1.305, Centro (ao lado do Hospital Rio Doce). Funciona de segunda a sexta-feira, das 07 às 12h30;

Hemocentro Regional de Colatina

Tel. (27) 3177-7930 - Rua Cassiano Castelo, s/n, Centro. Funciona de segunda a sexta-feira, das 07 às 12h30;

Hemocentro Regional de São Mateus

Tel. (27) 3767-4135 - Rodovia Otovarino Duarte Santos, Km 02, Parque Washington. Funciona de segunda a sexta-feira, das 07 às 12h30.

Ver comentários