Notícia

Avanço do mar preocupa moradores de Povoação, em Linhares

Segundo os moradores, a maré não sobe tanto assim há pelo menos 25 anos

O mar agitado tem invadido as ruas de acesso a praia no balneário de Povoação em Linhares
O mar agitado tem invadido as ruas de acesso a praia no balneário de Povoação em Linhares
Foto: Simião Barbosa dos Santos

A força das águas tem deixado os moradores da vila de Povoação, litoral de Linhares, no Norte do Estado, bastante preocupados. Há pelo menos cinco dias o mar agitado tem invadido as ruas que dão acesso à praia. Em um vídeo, enviado pelo morador Simião Barbosa dos Santos, é possível ver a proximidade das casas com o mar.

Segundo Simião, com a maré alta até um banheiro da residência já foi interditado. “A gente não está nem usando mais aquele banheiro, porque de repente a gente está no banheiro e bate aquela onda mais forte e arrebenta tudo, então a gente não está nem usando ele mais”, relata o pescador aposentado.

Leia também

A situação está tão complicada no local que, em alguns momentos do dia, só é possível entrar na residência colocando os pés na água. “Quando foi mais ou menos três e meia o mar começou a jogar bastante água. Aí saímos para caminhar e quando retornamos essa área aqui já estava tomada pela água. Nós tivemos que entrar na água para poder vir para dentro de casa”, conta a professora Eliane Barbosa dos Santos.

Eliane é filha de Simião e juntos relatam a preocupação com o avanço do mar no balneário. Para ela, a cada dia a situação fica mais complicada. “Está avançando cada vez mais. Ontem tinha menos água jogando dentro de casa, mas hoje nós observamos que já entrou mais água, mais areia dentro de casa e a preocupação é muito grande de chegar a derrubar realmente a casa”, comenta.

Ainda segundo a professora, quem vê a praia assim nem imagina que existia uma extensa faixa de areia entre o mar e as residências. “O mar era bem mais afastado. Tinha um campo ali que as pessoas usavam como lazer e que aos poucos foi sendo tomado pelo mar e hoje em dia você pode ver que já não existe mais espaço”, revela Eliane.

Simião conta que há pelo menos 25 anos a maré não subia tanto. Segundo ele, o mar já levou duas casas que ele tinha no balneário. “Isso foi em 1994, eu tinha dois barracos de tábua, o mar começou a bater em um, arrebentar ele, eu desmanchei ele e coloquei dentro de outro barraco de tábua, o mar aterrou tudo, depois cavou e carregou tudo. Aí tinha a casa onde eu morava que era de tijolo, uma cabana grande de 144 metros quadrados, essa aí o mar quebrou tudo, destruiu tudo”, conta.

O QUE DIZ A PREFEITURA DE LINHARES

Em nota, a Defesa Civil de Linhares disse que “não foi acionada por nenhum morador impactado pelas condições meteorológicas adversas e destaca que está a disposição pelo telefone (27) 99983-5661”.

 

Ver comentários