Notícia

Homens precisaram nadar mais de 1h para chegar à praia de Regência

Irmãos, Fernando e Renato Borges dos Santos conseguiram se salvar após barco afundar no mar; buscas tentam localizar Antônio, que está desaparecido desde sábado (17) à noite

Três anos da lama da Samarco: barcos na foz do Rio Doce em Regência
Três anos da lama da Samarco: barcos na foz do Rio Doce em Regência
Foto: Carlos Alberto Silva

São e salvo, Fernando Borges dos Santos, de 27 anos, contou em entrevista exclusiva ao Gazeta Online que ele e o irmão, Renato Borges dos Santos, precisaram nadar mais de uma hora para chegar à praia de Regência, em Linhares, no Norte do Estado, após o barco em que eles estavam afundar, durante a noite deste sábado (17).

“Nós saímos para pescar por volta das 15h30 e foi só no início da noite, mais ou menos 19h20, que tudo aconteceu. A rede enroscou na hélice do motor. Nós tentamos soltar, mas veio uma onda e acabou virando o barco”, explicou. “Eu e meu irmão, então, nadamos mais de uma hora para chegar em terra firme e pedir ajuda”, completou.

O terceiro ocupante do barco, identificado como Antônio da Vitória, continua desaparecido. “O meu irmão disse que o nosso amigo não sabia nadar direito e que, por isso, ficou agarrado a uma boia de isopor. Tenho muito medo que algo tenha acontecido com ele. Apesar de bem fisicamente, nós ainda estamos muito abalados”, revelou.

O pescador Antônio da Vitória está desaparecido no mar de Linhares
O pescador Antônio da Vitória está desaparecido no mar de Linhares
Foto: Arquivo pessoal

Ainda de acordo com Fernando, esta foi a primeira vez que os três saíram juntos para pescar e a atividade não passava de um hobby. “Conheço o Antônio porque ele também mora aqui em Povoação, assim como eu e o meu irmão, que é o dono do barco; mas nós pescávamos só de vez em quando como passatempo”, disse.

Atualmente desempregado, ele e o Renato costumavam trabalhar em plantações de cacau. Questionado, Fernando não soube informar a profissão e nem a idade de Antônio.

BARCO SERIA INAPROPRIADO PARA O MAR

Presidente da Associação dos Pescadores de Povoação, Simião Barbosa dos Santos conhece todos os envolvidos no naufrágio e disse que o barco que eles utilizavam não era apropriado para a navegação no local. “Eles estavam na foz do Rio Doce, já no mar. Como o barco era inapropriado para isso, a correnteza fez com que ele afundasse”, explicou.

BUSCAS CONTINUAM

Por meio de nota, a Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp) informou que a Capitania dos Portos foi acionada, assim como o Núcleo de Operações em Transporte Aéreo (Notaer), que enviou um helicóptero para buscas na região durante a manhã deste domingo (18). Até o momento, Antônio não foi encontrado e, por isso, as buscas continuam.

CASO SEMELHANTE

Em março deste ano, um acidente envolvendo barco de pesca também foi registrado em Regência. Na ocasião, uma embarcação de aproximadamente nove metros de comprimento afundou em alto-mar. Três pescadores estavam no barco. Dois conseguiram nadar até a praia e o terceiro está desaparecido.

Os homens utilizavam uma rede de arrastão quando a ponta da rede acabou encostando no fundo do mar, ficou presa e fez com que o barco afundasse.

Ver comentários